Liberdade de residência na CPLP "não é impossível". Mobilidade é nova prioridade

A nova secretária-executiva da Comunidade dos Países de língua Portuguesa (CPLP), Maria do Carmo Silveira, disse hoje que "não é impossível" aplicar já a liberdade de residência no espaço lusófono.

Confrontada pela agência Lusa com as palavras do primeiro-ministro português, António Costa, que na segunda-feira disse que "era muito positivo" que a liberdade de residência na CPLP "se pudesse fazer já", a são-tomense respondeu: "Vamos analisar e ver como é que se pode concretizar. Eu creio que não é impossível".

"Apenas temos de estudar como é que vamos poder implementar isto. Pode ser um primeiro passo para uma mobilidade mais geral no seio da comunidade", comentou, no final da XI conferência dos chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorreu entre segunda-feira e hoje em Brasília, no Brasil.

Sobre este assunto, o primeiro-ministro português, António Costa, manifestou-se também convicto de que a proposta portuguesa de mobilidade no espaço lusófono já será uma realidade quando Portugal assumir o secretariado-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em 2019.

"Tenho a certeza de que daqui a dois anos essa questão estará ultrapassada. Se não estiver, bom, essa será necessariamente a primeira missão do nosso secretário-executivo. Mas não creio que essa questão ainda esteja na agenda daqui a dois anos, pelo contrário, já deve estar simplesmente na prática do dia-a-dia dos nossos povos", declarou o primeiro-ministro.

Nem de propósito, a declaração final da XI Cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) prevê "a progressiva construção de uma cidadania da CPLP" e mandata o secretariado-executivo a convocar uma reunião técnica sobre mobilidade.

"A mobilidade e a circulação no espaço da CPLP constituem um instrumento essencial para o aprofundamento da Comunidade e a progressiva construção de uma cidadania da CPLP", lê-se no ponto 24 da declaração final.

Na cimeira que terminou hoje em Brasília foi também aprovada uma resolução específica sobre mobilidade, na qual os chefes de Estado e de Governo dos nove países da CPLP se comprometem a "instar os sectores nacionais competentes ao aumento dos esforços de implementação dos compromissos assumidos nos acordos sobre a mobilidade".

Anfitrião Satisfeito

O Presidente do Brasil, Michel Temer, referiu que a XI cimeira da CPLP teve uma "dimensão universal".

O líder brasileiro destacou o "preciosíssimo relato" do futuro secretário-geral da ONU, António Guterres, presente na reunião, da situação mundial e dos seus planos para a liderança da ONU.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis