Governo reitera determinação em colocar Cabo Verde no top 50 do ranking Doing Business

Janine Lélis manifestou esta vontade durante abertura da conferência e formação sobre o Código de Recuperação e de Insolvência

A ministra da Justiça e do Trabalho reiterou esta quinta-feira, na ilha do Sal, a determinação do Governo em colocar Cabo Verde no top 50 do ranking Doing Business, do Banco Mundial.

Janine Lélis manifestou esta vontade durante abertura da conferência e formação sobre o Código de Recuperação e de Insolvência, a que presidiu na tarde de hoje, reunindo, durante três dias, operadores económicos, magistrados, que trabalham na área cível, e advogados com maior actuação na área comercial.

“Mais do que um compromisso é uma meta a alcançar, porque trata-se, acima de tudo, de uma ambição para o desenvolvimento, a que transversalmente todos os sectores são chamados a edificar”, reforçou a governante, realçando que “a razão de ser desta opção e deste compromisso” está ligada à “importância e relevância” que um “bom ambiente de negócios” tem e representa para o crescimento económico do país.

“O que se tem em vista pela via destes dois institutos, recuperação e insolvência, é a protecção da actividade económica como objecto de direito, cuja existência e desenvolvimento interessam não somente ao empresário, ou aos sócios da sociedade, mas a um conjunto bem maior de sujeitos, e essencialmente ao Estado”, frisou a titular da pasta da Justiça e do Trabalho.

Janine Lélis conclui que “compreender, debater e divulgar os meandros” do Código de Recuperação e Insolvência será uma missão que conhecerá o seu início neste fórum, mas que depois terá os seus reflexos na aplicação e no aproveitamento da lei, com “resultados que serão tangíveis” para os operadores e para o país.

Para o advogado João Medina, participante no evento, trata-se de um tema “extremamente actual e interessante”, cuja conferência permite “intercâmbio e troca de impressões” com colegas e magistrados de outras jurisdições e países.

Tratando-se de uma lei recente, ainda pouco conhecida, em vigor desde 2016, segundo José António Moreno, membro da direcção da Câmara de Comércio do Barlavento, espera-se sair deste seminário com “maiores conhecimentos”, já que se trata de uma “ferramenta importantíssima” para o desenvolvimento do tecido empresarial nacional.

A conferência e formação sobre o Código de Recuperação e de Insolvência, na qual participam juízes, procuradores das diferentes ilhas e de outros países, conferencistas, representantes de entidades privadas, entre outras figuras, têm por objectivo promover a comunicação e divulgação do código sobre a recuperação e a insolvência, e a sua importância para a dinamização da economia e melhoria do ambiente de negócio.

Fonte: A Nação

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”