Cabo Verde vai formar técnicos timorenses em segurança alimentar

Cabo Verde vai cooperar na formação de técnicos de segurança alimentar e fiscalização da atividades económicas de Timor-Leste, cuja autoridade de inspeção vai duplicar o número de funcionários em junho, foi hoje anunciado na cidade da Praia.

O anúncio foi feito pelo coordenador da Autoridade de Inspeção e Fiscalização das Atividades Económicas e de Segurança Alimentar de Timor-Leste (AIFAESA), Abílio Sereno, que lidera uma delegação timorense que hoje iniciou uma visita de dois dias a Cabo Verde.

Em declarações à imprensa, o responsável timorense disse que a visita a Cabo Verde tem como principal objetivo começar a elaborar um protocolo de cooperação com a Inspeção Geral das Atividades Económicas (IAGE) cabo-verdiana, para a formação de técnicos timorenses.

Com apenas dois anos de existência, Abílio Sereno avançou que a AIFAESA tem 62 funcionários, mas a partir de junho vai recrutar mais 60.

"Não vale a pena ter muitos funcionários, se as suas capacidades ainda estão aquém daquilo que eles devem saber. Por isso, queremos aproveitar a rica experiência da IGAE para receber mais e fazer mais e melhor em Timor-Leste, como tem feito em Cabo Verde", salientou.

O coordenador afirmou que os técnicos que serão formados em segurança alimentar e fiscalização de atividades económicas vão ter capacidades para trabalhar num laboratório próprio, que é a maior prioridade do país.

Além da cabo-verdiana IGAE, Abílio Sereno disse que outro dos parceiros da AIFAESA é a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) de Portugal.

O coordenador da AIFAESA explicou que a indústria timorense ainda é incipiente, sendo cerca de 80% dos produtos importados de países como Indonésia, Austrália e Singapura.

"É por isso que temos de estar preparados e capacitar os nossos técnicos de laboratório para poder garantir segurança alimentar à população de Timor-Leste", frisou Abílio Sereno, que lidera a equipa composta pelo coordenador, Joanico da Costa Soares, e pelo diretor da Administração e Finanças, Gabriel da Costa.

O inspetor-geral das atividades económicas de Cabo Verde, Elisângelo Monteiro, disse que o protocolo pretenderá dotar as instituições de capacidades para um melhor desempenho em matéria de segurança alimentar e fiscalização económica.

"Cabo Verde e Timor-Leste têm um desafio importante, que é assegurar o consumo seguro. Há nos dois países a questão do turismo, o que significa gente com alto padrão de consumo, e nós temos de estar preparados para poder explorar esse padrão de consumo, para podermos ter a contribuição do turismo, sobretudo de uma forma muito mais acentuada no processo de desenvolvimento", frisou o dirigente cabo-verdiano.

Além de preparar o protocolo e de definir uma data para a sua assinatura, a IAGE e a AIFAESA vão abordar os desafios do Fórum das Inspeções de SegurançaAlimentare das Atividades Económicas (FISAAE), uma plataforma que congrega todos os serviços da inspeção da segurança alimentar e das atividades económicas da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) e que é atualmente presidida por Timor-Leste.

Fonte: Sapo CV

Notícias

MasterPlan do Turismo da ilha do Sal apresentado em Santa Maria

Açores apoia Cabo Verde na valorização das cadeias de valor agrícolas

FIC “despede-se” da Laginha com balanço positivo