Turistas europeus “invadem” a ilha das montanhas em plena época alta do turismo em Santo Antão

Dois meses após a abertura da época alta do turismo em Santo Antão tem sido cada vez mais notória a presença de turistas, provenientes sobretudo do Norte da Europa, nesta ilha, que oferece o “trekking” como principal produto turístico.

Nos últimos tempos, grupos de turistas têm chegado, com muita frequência, a Santo Antão para caminhadas em trilhas em busca da natureza, razão pela qual os operadores acreditam que o fluxo turístico nesta ilha tem aumentado, perspectivando, assim, “uma excelente época” para turismo nesta região.

O grosso de turistas chega a Santo Antão entre os meses de Outubro e Maio, considerada a época alta do turismo nesta ilha que, em 2016, recebeu cerca de 20 mil visitantes.

Segundo o Governo, Santo Antão está “na linha de frente” a nível do turismo rural e de natureza, prevendo-se, num futuro próximo, a diversificação da oferta que vai aumentar, de “forma exponencial”, o fluxo de turistas à esta ilha.

O projecto Raízes (Redes locais para o turismo sustentável e inclusivo em Santo Antão), co-financiado pela União Europeia, em 500 mil euros (55 mil contos), que já está a ser implementado, contribuirá, segundo o Governo, para dar visibilidade às potencialidades turísticas que a ilha apresenta.

Um estudo sobre o turismo rural em Santo Antão, realizado, recentemente, no âmbito da cooperação luxemburguesa, concluiu que, ” a procura turística” está, efectivamente, a crescer a nível local, mas “a oferta continua desorganizada e despreparada”.

“A procura turística em Santo Antão tem vindo a crescer, mas a oferta continua desorganizada e despreparada para enquadrar o movimento turístico, quer do ponto de vista institucional (poder local), quer do ponto de vista macro (planeamento do território) e micro (estruturação, gestão e comunicação do turismo comunitário)”, revela o estudo, realizado entre os meses de Agosto e Novembro de 2017.

O trekking (caminhadas em trilhos à procura de natureza) é, para já, o principal produto turístico de Sano Antão, mas, segundo o estudo, é preciso que se desenvolva outras componentes desta oferta, como a gastronomia, observação de espécies, escalada e o canyoning na montanha, para potenciar este produto.

Santo Antão, que tem no mercado francês o principal mercado emissor, enfrenta, porém, vários constrangimentos que condicionam o desenvolvimento do turismo local, desde logo a questão da acessibilidade à ilha, mais precisamente a problemática dos transportes aéreos e marítimos, que limita a chegada e permanência de turistas, nesta região.

Para os responsáveis municipais, Santo Antão, com a sua beleza, hospitalidade, cultura, gastronomia, tem todas as condições para dar “um grande salto” a nível do turismo sustentável, sendo crucial a construção do aeroporto, cujo processo foi desencadeado com o arranque dos estudos.

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis