Standard & Poors alterou “rating” de Cabo Verde para “BB” com perspetiva “estável”

A Standard & Poors Global Ratings alterou a perspetiva do rating para a dívida pública de Cabo Verde de negativo para estável, confirmando assim o nível “BB”.

De acordo com nota do Gabinete de Comunicação e Imagem do Governo, esta melhoria na classificação do rating de Cabo Verde prende-se com a perspetiva positiva que se espera para o aumento do crescimento económico e da melhoria na performance da política orçamental, que, segundo a agência de rating, vai contribuir para estabilização do elevado nível da dívida pública.

A S&P Global Ratings estima que a dívida pública vai atingir os 125% do PIB até ao final do ano. Valor este que torna o país como o sexto mais endividado de entre os países classificados por esta agência de rating.

Embora a maior parte da dívida do governo seja concecional, traduzindo-se em maturidades alargadas e baixas taxas de juro, cerca de três quartos da dívida pública está denominada em moeda estrangeira, o que pode traduzir-se em risco para a economia. Ainda segundo o relatório, haverá uma maior pressão sobre as finanças públicas à medida que o período de carência se expira e as amortizações das dívidas aumentar nas próximas décadas.

A S&P Global Ratings salienta que dada a qualificação de Cabo Verde para país de rendimento médio, os créditos concessionais tornam-se mais difíceis e o acesso aos créditos nos mercados terão maior constrangimentos implicando menor espaços fiscais para mitigar os choques, tanto externos como internos, através da política orçamental.

A classificação do rating de Cabo Verde está ancorada no forte desenvolvimento das instituições, respeito pelo estado de direito e a existência de várias alternâncias políticas pacíficas, confirmando a estabilidade política do país.

Segundo o relatório publicado pela S&P Global Ratings os dados sobre a taxa de crescimento do PIB do segundo semestre de 2016, publicadas pelo INE excederam as projeções que haviam indicado para economia cabo-verdiana, que segundo afirmaram podem ser justificados pela melhoria na dinâmica que o setor do turismo tem apresentado, dado os investimentos planeados para as construções de diversos hotéis nas principais ilhas turísticas de Cabo Verde.

Também os dados sobre o défice orçamental contribuíram para a melhoria da classificação do rating de Cabo Verde, que segundo a indicação da agência de rating pode situar-se por volta de 3% durante o período de 2017-2019.

Embora alguns dados apontam para a melhoria da performance da economia, a S&P Global Ratings chama, também, a atenção pela existência de um conjunto de riscos que condicionam a performance da economia e o nível de rating, como situação financeira débil das empresas públicas, a evolução negativa da inflação, a fraca flexibilidade da política orçamental e uma posição externa fragilizada.
Segundo a agência de rating S&P, caso Cabo Verde melhorar as expetativas, o nível de rating pode ser melhorado no futuro, mas caso as expetativas para o crescimento e a consolidação orçamental não se verificar, o nível de rating será baixado.

Fonte: A Semana

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos