Santo Antão: Autarcas acreditam que só o turismo pode salvar a ilha do despovoamento

Os autarcas em Santo Antão acreditam que a ilha vai continuar a perder a sua população se, “efetivamente”, não se alavancar a economia local, que “só será feito através do turismo”.

O presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão entende que o potencial desta ilha está no turismo, pelo que é “fundamental” os municípios trabalharem com o Governo para que esta região tenha a oportunidade de se desenvolver e criar empregos para os jovens, que continuam a deixar a ilha.

“Santo Antão vai continuar a perder a sua população se não, efetivamente, alavancarmos a sua economia, para criarmos empregos. Isso só será feito através do turismo”, admitiu o autarca Orlando Delgado, para quem esta ilha “não quer ser exclusivamente agrícola”.

O presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão entende que esta ilha “nunca se desenvolverá somente com a agricultura”, acreditando que o potencial desta região está, mesmo, na natureza e no turismo.

“Por isso, vamos trabalhar, conjuntamente, com o Governo nesse sentido para que Santo Antão possa ter, também, a oportunidade de se devolver e criar empregos para os jovens”, sublinhou o autarca, enaltecendo os projetos em curso ou em carteira nesta ilha, como é o caso da Rota das Aldeias Rurais, que podem potenciar o turismo local.

Orlando Delgado voltou a defender a necessidade de o Governo dotar Santo Antão do seu aeroporto, infra-estrutura que, a seu ver, terá “um papel crucial” no incremento do turismo nesta ilha.

Para os autarcas santantonenses, o despovoamento de Santo Antão tem a ver com a falta de oportunidades para os jovens, que preferem ir para as ilhas mais desenvolvidas do arquipélago, designadamente para o Sal e Boa Vista.

Admitem que “o maior drama” de Santo Antão neste momento é o seu despovoamento, fenómeno que resulta da “falta de oportunidades” para os habitantes, obrigados a deixarem a ilha que, em 2030, poderá ter menos habitantes que tinha em 1940.

Segundo o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) de Cabo Verde (2017-2021), em 1940, Santo Antão tinha 35 mil habitantes, podendo até 2030 dispor apenas de 33 mil pessoas, caso se mantenha este ritmo de despovoamento.

Entre 2012 e 2016, Santo Antão perdeu quase três mil habitantes, passando a população de 42.552 para 39.992 habitants.

Fonte: InforPress

Notícias

Dia Nacional da Cultura comemorado sob o lema “eu_génio: do legado à ficção”

Governo prevê funcionamento da Universidade Técnica do Atlântico em 2020/2021

Santiago Norte: Municípios juntam-se ao MCIC para homenagear a Morna no Dia Nacional da Cultura e Comunidades

São Nicolau: Projecto Caminhar inicia acção de capacitação em acompanhantes de “trekking”

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis