Representantes dos países da África Ocidental e Central querem conhecer experiência cabo-verdiana em matéria das TIC

Os coordenadores nacionais das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) das Aldeias SOS da África Ocidental e Central reúnem-se de 03 a 07 de Dezembro, na Cidade da Praia, para a partilha de experiências nesse domínio.

“Acolhemos o evento para partilharmos o que de bom vamos tentando fazer, nomeadamente no domínio das TIC para o desenvolvimento, num quadro em que todos os colaboradores e os utentes das Aldeias SOS estarão em condições de usar as novas Tecnologias de Informação e Comunicação”, precisou o diretor geral das Aldeias SOS de Cabo Verde, Dionísio Simões Pereira, acrescentando que as Mães-SOS já se encontram numa “fase bastante avançada” das TIC para a gestão doméstica, tanto a nível da medicamentação, refeições, assim como os dados dos meninos e os planos do desenvolvimento familiar.

Dionísio Pereira fez estas considerações em declarações à imprensa à margem do ato de abertura do workshop que reúne na capital representantes de 18 países da região oeste e Centro Africana.

Segundo este responsável, Cabo Verde vai partilhar a sua experiência no domínio das TIC, assim como “beber da experiência de outros país” também com “experiências interessantes”.

Segundo Simões Pereira, a instituição que dirige aceitou o desafio de acolher o referido workshop devido à parceria que as Aldeias SOS de Cabo Verde têm com o Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSI).

“Assumimos a responsabilidade de acompanhar o NOSI na sua internacionalização e neste encontro estão 18 países representados”, afirmou Simões Pereira, adiantando que é uma oportunidade para os representantes desses Estados visitar e conhecer o Data Center do NOSI e ter um contacto com os seus dirigentes e técnicos e ver em que medida esta instituição pode, eventualmente, prestar serviços aos países da sub-região.

Por sua vez, o diretor das TIC-SOS, Arnaud Ndior, revelou aos jornalistas que este workshop na capital cabo-verdiana é uma janela para que pessoas de outros países se inteirem sobre o que está a acontecer em Cabo Verde em matéria de Tecnologias de Informação e Comunicação.

“Temos verificado que em matéria das TIC, as coisas passam muito bem em Cabo Verde e queremos que as pessoas de outros países aprendam sobre o que está a acontecer aqui”,  assegurou Arnaud Ndior, adiantando que no concernente às tecnologias nos países da África Ocidental e Central a situação é ainda “bastante complicada e difícil”.

No workshop participam os 15 países da Comunidade Económica para o Desenvolvimentos dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e mais três da África Central, além do representante da direção regional na parte das TIC da África do Leste e conselheiro internacional das Aldeias SOS, com sede na Áustria.

Fonte: InforPress

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis