Regiões ultra-periféricas europeias querem complementaridade de ações em Cabo Verde

As regiões ultra-periféricas de Espanha e Portugal (Madeira, Açores e Canárias) que integram o programa de cooperação territorial Interreg V-A MAC 2014-2020 querem a complementaridade dos projetos financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) em Cabo Verde

É com este propósito que decorre na Cidade da Praia um workshop de concertação dos fundos europeus de desenvolvimento para projetos em Cabo Verde.

O que se pretende, explicou o diretor-geral dos Assuntos Económicos para África do Governo das Canárias, Pablo Martin Carvalhal, é permitir que os projetos que estão a funcionar com financiamento do FEDER tenham maior impacto em Cabo Verde.

“Nós temos um programa de cooperação que é financiado pelo FEDER, um fundo que é destinado às regiões ultra-periféricas da Europa – Açores, Madeira e Canárias – e com esse fundo cooperamos com Cabo Verde em 40 projetos”, explicou.

“Por isso queremos fazer essa concertação porque queremos que esses projetos se complementem com outros fundos de cooperação que há em Cabo Verde, nomeadamente o Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED) da delegação da UE, o fundo da cooperação espanhola ou fundos da FAO ou outro tipo de fundo, para que os mesmos possam ter maior impacto”, precisou Pablo Martin Carvalhal.

Segundo adiantou, no âmbito da Cooperação Territorial Interreg V-A Mac 2014-2020 um total de 56 projetos foram aprovados, dos quais 42 cabo-verdianos.

Desse grupo de 42 projetos, 11 foram identificados com potencial para ter um impacto forte a nível do país, nomeadamente nos setores de água, agricultura, investigação científica, desenvolvimento tecnológico e competitividade das pequenas e médias empresas, entre outras.

Para o diretor nacional dos Assuntos Políticos, Económicos e Culturais do Ministério dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades de Cabo Verde, Júlio Morais, este workshop marca um novo ciclo de cooperação entre o país e as regiões ultra-periféricas europeias.

“As áreas estão extremamente abertas. Há duas áreas que penso que são de extrema importância realçar aqui. Uma é reutilização das águas salobras e outra é o património subaquático que temos aqui nos nossos mares. Essas duas áreas são importantíssimas porque têm outros impactos económicos, criação de riqueza e empregos”, disse.

O programa regional MAC 2014-2020 tem como objetivo principal promover a cooperação transfronteiriça e transnacional entre as Regiões Autónomas Portuguesas Açores e Madeira, a Comunidade Autónoma Espanhola das Ilhas Canárias, e os países terceiros Cabo Verde, Senegal e Mauritânia.

Contou na primeira convocatória com o montante de 56 milhões de euros para 52 projectos. Mais de metade desse montante foi destinado a Cabo Verde, que participou com 42 projetos.

Do encontro de hoje espera-se a identificação de possíveis mecanismos de financiamento envolvendo outros fundos para dar continuidade aos projetos em curso e ao mesmo tempo perspetivar o novo programa para o período 2021-2027, que seja estruturado, financiado e positivo para todos.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Plataforma de encontro entre quem quer investir e quem quer desenvolver projetos

Fogo: A ilha precisa de bons investimentos públicos para criar condições para os investimentos privados – Primeiro-ministro

Projeto "Turismo e comunidades: iniciativas locais de criação de emprego” apresentado hoje na Ponta do Sol

​IX edição do Mindel Summer Jazz homenageia Biús

Primeiro centro cultural de um país africano na Europa: Cabo Verde em Lisboa