Primeiro-Ministro coloca livro e literatura como "pilares importantes" da política cultural

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, afirmou quinta-feira, na cidade da Praia, que o livro e a literatura são “pilares importantes” na política cultural do Governo

A afirmação foi feita na cerimónia de abertura da IX edição do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, que este ano homenageia o escritor cabo-verdiano e Prémio Camões 2018, Germano Almeida.

Ulisses Correia e Silva enumerou alguns “investimentos que, para além das declarações é preciso concretizar”. Recordou depois que no espaço de três anos o Governo disponibilizou 33 mil livros às bibliotecas municipais dos 22 municípios do país.

“Este é um empreendimento com futuro garantido (…), estamos num momento global em que a propensão para a leitura tem correntes enormes, como a televisão e as redes sociais, e precisamos voltar aos livros e aos jornais, porque são insubstituíveis”, justificou.

Para o chefe do Governo, os investimentos a serem feitos nessa área têm que ganhar escala e dimensão a nível da formação de mediadores de leitura, com a republicação de clássicos da literatura, bem como a publicação de obras inéditas.

Ulisses Correia e Silva defende ainda uma aposta “forte” na língua portuguesa como um activo que serve de partilha na comunicação, na cultura e na economia.

Com o tema principal “A Literatura Infanto-juvenil”, o encontro, que decorre na Biblioteca Nacional, é uma iniciativa da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) e da Câmara Municipal da Praia.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Preços da oferta turística diminuíram em termos homólogos -5,2% no segundo trimestre de 2019

Mindelo acolhe 72.º Centro de Língua Portuguesa que vai ser inaugurado quinta-feira

Brava: Master plan de turismo é o “guia maior”da planificação estratégica turística para a ilha até 2030 – edil

Novo hospital da Praia é um complemento aos hospitais de Cabo Verde e não vai substituir o HAN – PCA

Câmara Municipal do Sal apresenta plataforma “inovador” GEO Sal