Navio da Greenpeace faz campanha em Cabo Verde pela pesca sustentável

O navio “Esperanza” da organização ambientalista Greenpeace encontra-se atracado, desde sexta-feira, no porto da Praia, ilha de Santiago, em Cabo Verde, no âmbito de uma campanha para promover a pesca sustentável na costa ocidental africana.
A embarcação, que está no arquipélago pela primeira vez, já foi visitada, logo no primeiro dia, por cerca de 500 alunos de três escolas da capital cabo-verdiana, bem como algumas pessoas e entidades ligadas ao setor das pescas.
Na segunda-feira, decorrerão a bordo encontros com entidades governamentais, organizações ligadas à pesca e à gestão dos portos cabo-verdianos, pescadores e peixeiras, com o objetivo de sensibilizar e comprometer os "responsáveis, as populações para a responsabilidade que todos temos de salvar os oceanos para o futuro".
Em declarações à imprensa, o gestor da campanha "Oceanos" da Greenpeace Africa, Ibrahima Cisse,  alertou para a dimensão da sobrepesca e da pesca ilegal na zona da África Ocidental.
Neste sentido, ele defendeu uma abordagem regional que envolva seis países da região (Cabo Verde, Mauritânia, Guiné-Bissau, Guine-Conakry, Serra Leoa e Senegal), locais por onde o barco irá passar durante as 11 semanas previstas para a missão.
"Estamos aqui para reforçar uma abordagem regional e para ajudar os países a trabalharem em conjunto, porque alguns têm zonas económicas exclusivas enormes e não têm capacidade para as vigiar. Se pusermos estes países a trabalharem juntos, podemos melhorar a gestão das pescas, tendo em mente que a forma como se pesca, as mudanças climáticas e a poluição terão um impacto direto nas populações", disse.
Segundo ele, a pesca em excesso e a pesca ilegal nas águas oeste-africanas constitui uma ameaça à segurança alimentar, às reservas de peixe e à saúde dos oceanos, enquanto a colaboração entre Estados "deve ser reforçada imperativamente".
Ibrahima Cisse recordou que, nos últimos 15 anos, a Greenpeace tem vindo a documentar e a denunciar as atividades das frotas de navios estrangeiros na sub-região, nomeadamente chineses, russos e europeus.
Estas atividades, disse, “comprometem a segurança alimentar e os meios de sobrevivência das comunidades costeiras que dependem em larga medida da pesca artesanal, que tem também vindo a crescer à grande velocidade sem planeamento e regulação”.

Fonte: Panapress

Nachrichten

Primeira edição de Festival de curtas-metragens apresentada em Mindelo

Empresas alemãs procuram parceiros cabo-verdianos no sector do turismo e energias renováveis

Cabo Verde vai implementar em 2019 projecto subaquático “Margullar” – garante Jair Fernandes

Santa Catarina: Livro “Histórias da História de Santiago” vai ser apresentado quarta-feira em Assomada

Biosfera alerta para atentados à biodiversidade

Livre circulação no topo da agenda da Cimeira do Sal

Duas décadas de estabilidade e de credibilidade para a moeda cabo-verdiana

PR diz ser preciso acarinhar e preservar a língua portuguesa

IGRP Web do NOSi entre o TOP 50 de inovações em África

Cabo Verde e Brasil poderão colaborar a nível do turismo de aventura e comércio de vinhos

Tecnologias: Cinema da Praia recebe a 2ª edição do TEdx Praia

O turismo não pode estar de costas voltadas para as populações

Universidades cabo-verdianas ainda se assemelham aos liceus – reitor da Uni-Piaget

Ilha do Fogo: Universidade de Santiago promove a partir de sábado a IX edição do “Rotas do Arquipélago”

Santo Antão: Aumento do turismo trouxe novas oportunidades de negócios ainda pouco exploradas na ilha – Raízes

Ilha do Fogo: Empresários brasileiros na ilha para desenvolvimento de parcerias no sector do turismo rural

Cabo Verde não vai pedir assistência financeira ao FMI, afirma ministro das Finanças

Governo português analisa entrada da CGD no Fundo Soberano de Cabo Verde

Investigador defende que é necessário entender as reais necessidades da oceanografia costeira

Herança cultural da Europa vem da mistura da cultura com a África – Embaixadora da UE em Cabo Verde

Santiago Norte: Projecto-piloto propõe turismo sustentável que beneficie empresas locais e comunidade

Porto Novo: Fundo do Turismo recupera ex-edifício camarário para receber centro de interpretação turística

​Isenção total de vistos é objectivo comum, mas há muito caminho a percorrer

Cabo-verdianos não conseguem poupar e não querem comprar casa nem carro

Cabo Verde perde um milhão de turistas por falta de acessibilidades - FECAD

Oásis Atlântico lança projecto turístico no Tarrafal

Criada comissão conjunta para desenvolver projecto de Turismo Seguro para a ilha de Santiago

São Vicente/Economia Marítima: Técnicos chineses na ilha para planeamento da 1ª fase da Zona Especial

Santo Antão: Projecto Raízes concluí caracterização dos caminhos vicinais que vão formar rotas turísticas na ilha

Recém-criada Associação de Turismo do Maio almeja transformar a ilha num destino de excelência

A África precisa livrar-se da "Ajuda que mata", defende autora Dambisa Moyo