Governo pretende “ampliar” transportes aéreos com os Açores

Olavo Correia reuniu em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, com o vice-presidente do Governo dos Açores, no âmbito de uma visita oficial à região, que termina esta segunda-feira

O ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, defende um reforço da cooperação com os Açores no sector dos transportes, da agricultura, formação profissional, entre outras potenciais áreas comuns aos dois arquipélagos.

“Os transportes é o mais importante. Queremos abordar este mercado porque onde existe emigração cabo-verdiana há também diáspora dos Açores, como nos EUA, mas também na França e outros mercados. Há aqui potencial para ampliar o mercado e poder cada um ter uma fatia maior”, declarou o responsável pela pasta das Finanças.

Olavo Correia, que reuniu em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, com o vice-presidente do Governo dos Açores, no âmbito de uma visita oficial à região, que termina esta segunda-feira, concretizou que gostaria que a SATA ligasse outros destinos a partir da cidade da Praia ou São Vicente, em Cabo Verde.

Actualmente a SATA liga Cabo Verde e os Açores, com extensão a Boston, nos Estados Unidos, e a outros destinos europeus e norte-americanos para onde voa actualmente a transportadora aérea açoriana.

O ministro de Cabo Verde, sobre a hipótese de uma participação do Governo dos Açores na companhia pública Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) disse que “esta é uma questão que poderá ser analisada posteriormente” no âmbito do processo de privatização, que “está a cumprir os trâmites legais”.

“Mas mais do que a participação directa na TACV está a cooperação entre os dois governos para abordar melhor o mercado dos transportes aéreos na perspectiva da diáspora, do turismo, mas também para que as nossas empresas sejam mais rentáveis”, frisou o governante.

Olavo Correia referiu que há mercado para os produtos açorianos em Cabo Verde, e vice-versa, tendo destacado os lacticínios, mas na sua opinião torna-se necessário “criar condições” em termos de transportes aéreos e marítimos.

O membro do executivo de Cabo Verde admitiu que existem contactos entre a indústria transformadora de atum Cofaco, com duas unidades nos Açores, e o governo do seu país, para a instalação de uma fábrica naquele arquipélago, tendo afirmado que estão a ser criadas condições em termos de impostos e financiamento, a par dos transportes para atrair investimento exterior.

O vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, considerou que existe um “potencial de complementaridade em termos de estrutura produtiva e de “proximidade” que pode ser materializado através dos transportes aéreos e marítimos.

Sérgio Ávila afirmou que as ligações da SATA com Cabo Verde, a partir dos EUA, estão a decorrer com “excelente sucesso”, o que “permite perspectivar que há possibilidades de evolução” da operação.

Fonte: A Nação

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis