FECAD promove formação em turismo inclusivo

Esta ação de capacitação visa proporcionar aos técnicos das autarquias competências específicas e necessárias para apoiar e dar assistências às pessoas com deficiência e às pessoas com restrição ao nível da mobilidade e comunicação.

A Federação Cabo-verdiana de Associações de Pessoas com Deficiência (FECAD) realiza a partir de hoje,15, uma formação de três dias em Turismo Acessível e Inclusivo destinada aos técnicos de Turismo das câmaras municipais do país.

De acordo com uma nota de imprensa chegada à nossa redação, esta formação, que decorre na Praia, acontece no quadro do projecto “Acesso à Cultura em Cabo Verde e Desenvolvimento Turístico e de Representação das Pessoas com Deficiência (ACCEDERE)” financiado pela União Europeia no valor de 39 mil contos.

Com uma duração de 30 horas, esta ação de capacitação vai proporcionar aos técnicos das autarquias competências específicas e necessárias para apoiar e dar assistências às pessoas com deficiência e às pessoas com restrição ao nível da mobilidade e comunicação.

Durante os três dias, serão abordados temas como a questão das necessidades especiais na procura turística, o acolhimento e acomodação, incluindo necessidades específicas ao nível das infraestruturas e competências de apoio e de assistência a facultar a estes clientes.

De salientar que o Projeto ACCEDERE foi elaborado e executado pela FECAD em parceria com instituições portuguesas como a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) e a Associação dos Académicos, Investigadores e Profissionais Especialistas em Políticas Públicas (IGOP)

Fonte: A Nação

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis