China doa 545 mil euros em equipamentos para imprensa em Cabo Verde

A China ofereceu quarta-feira equipamentos informáticos de cerca de 60 mil contos cabo-verdianos, ou 545 mil euros, destinados à Comunicação Social e às universidades com formação na área do jornalismo em Cabo Verde, apurou a PANA de fonte oficial.

A oferta chinesa é constituída por 100 câmaras digitais, 100 gravadores, 250 computadores, 200 portáteis, 50 discos duros externos, 80 impressoras a laser, 50 UPS, 60 scanners, 30 fotocopiadoras, 20 televisores plasma, 20 telemóveis e 10 tablets.

Estes meios serão disponibilizados aos órgãos de Comunicação Social do setor público e privado, e às instituições que trabalham com o setor para suprir as lacunas existentes.

O ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Démis Lobo Almeida, que tutela a Comunicação Social, agradeceu à China pela doação entregue pelo seu embaixador em Cabo Verde, Du Xiaocong, explicando que esta oferta é o resultado de conversações mantidas sobre os desafios do setor.

Ele considerou o donativo como “estrutural”, porque irá permitir concluir alguns “projetos importantes” na sequência da reestruturação do setor público da Comunicação Social.

Démis Lobo, que deixa o cargo na próxima semana, na sequência da derrota do partido governamental (PAICV), nas eleições de 20 de março passado, apontou o caso da Agência Cabo-verdiana de Notícias (Inforpress) que vai ser dotada da vertente vídeo/áudio.

Segundo ele, isto vai permitir que se possa dar “um passo muito importante” no sentido da consolidação do programa do Governo cessante no setor da Comunicação Social.

“Há desafios que ficam e gostaria que a China  continuasse a dar uma atenção especial ao setor da Comunicação Social, que é uma área fundamental na afirmação do nosso Estado de Direito, das nossas liberdades e na afirmação do desenvolvimento social do nosso país”, solicitou o ministro cessante ao dirigir-se  ao embaixador chinês.

Du Xiaocong manifestou, por seu turno, a sua concordância com Démis Lobo, afirmando que a China está disposta a reforçar o intercâmbio e a colaboração, e promover as relações de amizade entre os dois países.

O diplomata chinês perspetivou que esta oferta possa ajudar Cabo Verde a desenvolver os meios de Comunicação Social.

“O Governo de Cabo Verde dá muita atenção ao desenvolvimento dos meios de Comunicação Social, que desempenham um papel insubstituível na estabilidade de política do arquipélago, de desenvolvimento económico e harmónico da sociedade, da promoção da cultura e da orientação de opiniões públicas do país”, precisou Du Xiaocong.

Fonte: Panapress

Notícias

Preços da oferta turística diminuíram em termos homólogos -5,2% no segundo trimestre de 2019

Mindelo acolhe 72.º Centro de Língua Portuguesa que vai ser inaugurado quinta-feira

Brava: Master plan de turismo é o “guia maior”da planificação estratégica turística para a ilha até 2030 – edil

Novo hospital da Praia é um complemento aos hospitais de Cabo Verde e não vai substituir o HAN – PCA

Câmara Municipal do Sal apresenta plataforma “inovador” GEO Sal