Cabo Verde cria observatório para produção de estatísticas sobre género

Cabo Verde passa a dispor de um observatório de género para seguir todas políticas do setor no país e proceder à divulgação online dos respetivos dados estatísticos, apurou a PANA neste fim de semana na cidade da Praia de fonte segura.
Este instrumento de produção estatística resulta de uma parceria entre o Instituto Cabo-verdiano da Igualdade e Equidade de Género (ICIEG), o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) e a ONU Mulheres.
O Observatório de Genero de Cabo Verde vai, para além de disponibilizar dados quantitativos, apresentar também uma abordagem qualitativa que visa fazer o seguimento das políticas públicas relacionadas com o género no país.
A presidente do ICIEG, Rosana Almeida, considera que o observatório representa um "marco histórico" na promoção da igualdade de género em Cabo Verde, uma vez que, segundo ela, a análise dos dados com a abordagem de género reveste-se de particular importância devido à assunção dos objetivos de desenvolvimento sustentável, que no aspeto de género almeja a igualdade efetiva entre homens e mulheres.
"Hoje ninguém duvida que a visibilidade adquirida auxilia no desenho e na análise de propostas orientadas para a melhoria na distribuição de recursos existentes, assim como permite entender as relações entre o acesso, o controlo e o benefício dos mesmos", sustentou.
Por isso mesmo, ela considera que esta plataforma online é já um primeiro passo dado na consecução dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentado (ODS) no horizonte de 2030.
Por sua vez, a representante da ONU Mulheres em Cabo Verde, Ivanilde Furtado, considerou que, além da questão da igualdade de género, o observatório vai permitir respostas a outros compromissos assumidos por Cabo Verde a nível internacional e regional.
"Trata-se de um recurso facilitador e estimulador de análises, pesquisas, artigos científicos ligados à temática da igualdade e de género e do empoderamento das mulheres. Também é um contributo para a mobilização de novas parcerias e mais recursos para o financiamento sustentável da agenda de género no país", sublinhou.
O presidente do INE, Osvaldo Borges, disse acreditar que, a partir de agora ,o instituto estará em condições de apresentar todos os anos, a publicação “Homens e mulheres em Cabo Verde”, que tem sido apresentado de dois em dois anos.
O objetivo, segundo ele, é dotar o país de um instrumento que permite monitorizar, em tempo útil, todas as políticas existentes em matéria de género.
Fonte: Panapress

Notícias

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências

​FIC 2019 em “casa apertada” no adeus à Laginha

Operadores registam aumento de turistas com o Programa Cabo Verde Stopover