Banana de Santa Cruz poderia abastecer mercado turístico de Sal e Boa Vista

Através de uma "parceria estratégica" entre os municípios seria possível transformar de forma radical a dinâmica dos pequenos produtores e das rabidantes

Não é de hoje que os produtores locais se vêm questionando sobre o facto de ser praticamente residual o número de produtos locais, produzidos em Cabo Verde, que chegam ao mercado turístico das ilhas do Sal e Boa Vista.

A resposta reside em grande parte na falta de associativismo por parte dos próprios produtores, que sozinhos não conseguem ultrapassar os desafios da escala de mercado.

Este é um dos grandes desafios que se coloca ao desenvolvimento económico local das regiões rurais de Cabo Verde, especialmente de Santiago, mas também do Fogo, Santo Antão e São Nicolau onde as potencialidades ao nível da produção agrícola são inúmeras.

A tónica entre a necessidade do associativismo e da importância das cooperativas foi um dos temas em debate ontem à tarde no Painel Interactivo sobre os desafios comuns e o potencial dos SIDS e dos pequenos estados insulares, no âmbito do IV Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local a decorrer desde terça-feira, 17, na capital.

Tendo como particularidade o caso de Cabo Verde, Amílcar Monteiro, Consultor em Políticas de Desenvolvimento foi um dos intervenientes deste painel e deu o exemplo do que se passa actualmente com a falta de aproveitamento das potencialidades da produção de banana no concelho de Santa Cruz, em Santiago e os intervenientes em toda a fileira produtiva.

Este que é o maior produtor de banana de Cabo Verde não está a tirar partido do mercado turístico das ilhas do Sal e Boa Vista, tendo em conta que Santa Cruz produz 19 mil toneladas de banana/ano e o mercado turístico dessas ilhas consome 500 toneladas ao ano.

“As rabidantes que vendem banana no Sal e na Boa Vista, revendem a banana a um operador que depois, por sua vez, vende as bananas aos hóteis. Trabalhando de forma individual, elas ficam afastadas da cadeia de valor e perdem-se no percurso de uma cadeia fragmentada”, alertou.

Esse Consultor acredita que através de uma “parceria estratégica” entre estes municípios seria possível transformar de forma “radical” a dinâmica dos pequenos produtores e das rabidantes.

Fonte: A Nação

Notícias

Porto Novo: Museu das Romarias pronto para receber visitas nas próximas festas de São João – ministro da Cultura

Parque Tecnológico derrapa 30% do custo inicial mas vai ajudar a transformar Cabo Verde num “país digital”, garante Governo

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras