Representação de mulheres no Parlamento em Cabo Verde aquém da meta, diz parlamentar

A representação das mulheres no Parlamento de Cabo Verde é de 30 porcento, isto é aquém da meta estabelecida nos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), apesar de ter aumentado quase sete vezes em 25 anos, anunciou o presidente da Assembçeia Nacional, Jorge Santos.

Conforme dados avançados por Jorge Santos, na abertura de um seminário sobre a Participação Política das Mulheres em Cabo Verde, promovido pelo Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género (ICIEG, "a evolução da participação das mulheres no Parlamento cabo-verdiano, no regime democrático, tem sido positiva embora tímida.

Segundo Jorge Santos, em 1991, a presença feminina no Parlamento foi de 3,8%; em 1995 de 12,5%; em 2001 de 11,1%; em 2006 de 15,3%, em 2011 de 20,8% sendo esta presença agora, em 2016, de 23,6%.

"Cabo Verde encontra-se no 71º lugar no mundo em termos de representação das mulheres no Parlamento”, indicou o parlamentar, entendendo que, nesta legislatura, a problemática da igualdade de género precise de "uma nova atitude".

A seu ver, esta atitude  deve passar "das boas intenções para ações concretas", nomeadamente com medidas legislativas que resultem "num acréscimo considerável da participação política das mulheres, aproximando o país da tão almejada e inevitável paridade".

"Paralelamente ao aumento efetivo da participação das mulheres em diversos órgãos de poder central e local, impõe-se, hoje, garantir a sua maior presença em órgãos de decisão da administração do Estado, em empresas e em diversos organismos da sociedade", defendeu.

Jorge Santos admite que a inclusão das mulheres pela educação, formação, emprego e participação efetiva, deve ser um desafio permanente dependente do esforço global da sociedade cabo-verdiana e do engajamento de parceiros externos.

“Se é verdade que devemos reconhecer e valorizar o engajamento dos nossos parceiros, não é menos verdade que Cabo Verde precisa, internamente, de priorizar políticas, tomando  melhores medidas legislativas que reforcem a participação das mulheres em diversas eleições e órgãos partidários e em políticas públicas que favoreçam uma participação efetiva das mesmas no mercado de trabalho e no processo de desenvolvimento”, precisou.

Por sua vez, a presidente do Instituto Cabo-verdiano de Igualdade e Equidade do Género (ECIEG), Talina Pereira, reconheceu que apesar da progressiva incorporação das mulheres em todos os ramos da atividade pública, política, científica, económico, cultural e social, “os dados mostram que continua a ser essencial fortalecer o acesso e a participação das mulheres na definição e decisão sobre as políticas públicas”.

Para a presidente do ICIEG, os mecanismos para garantir a representatividade feminina na vida política e nos órgãos de decisão continuam a ser insuficientes, além de persistir algum desconhecimento de instrumentos utilizados para promover o aumento da participação política das mulheres bem como das relações sociais do género que justifiquem o reforço da atuação neste campo.

Talina Pereira realçou a conquista do país em termos de aumento progressivo da participação das mulheres no poder legislativo, executivo e autárquico.

Porém, ela admite que, em termos de paridade, os progressos têm sido modestos em todos os setores, não obstante nas últimas eleições legislativas em que a presença das mulheres representa históricos 23% no Parlamento.

Na sua ótica, este feito “é o resultado de um maior engajamento dos partidos para a integração das mulheres, bem como do intenso trabalho de várias instituições nacional e internacional para que se integrasse mulheres nas listas e lugares elegíveis”.

Fonte: Panapress

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos