Partido no poder alcança vitória expressiva em autárquicas em Cabo Verde

O Movimento para a Democracia (MpD), no poder em Cabo Verde, alcançou uma vitória expressiva nas eleições autárquicas de domingo, ao vencer em 19 dos 22 municípios do país, apurou a PANA de fonte segura.

De acordo com os dados provisórios, o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), que perdeu as legislativas de 20 de março último, após 15 anos no poder, foi o grande derrotado do escrutínio, ao perder seis das oito câmaras conquistadas nas últimas autárquicas de 2012.

O MpD, que já foi o partido autárquico maioritário, apenas perdeu a câmara municipal da Boa Vista para o grupo BASTA, liderada por um seu deputado, José Luís Santos, que decidiu avançar como candidato independente, após a direção do partido ter decidido voltar a apoiar o edil cessante, José Pinto Almeida, que disputava o quinto mandato consecutivo.

A força política no poder, que passa a dominar os poderes central e autárquico em Cabo Verde, conseguiu, pela primeira vez, destronar o PAICV em duas das três câmaras, designadamente S.Filipe e Santa Catarina, na ilha do Fogo, considerada até agora o bastião desse partido.

O MpD retirou ainda ao PAICV as câmaras de Porto Novo, na ilha de Santo Antão, de S. Salvador do Mundo, S. Lourenço, na ilha de Santiago, e da Ribeira Brava, na ilha de S. Nicolau.

Numa primeira reação a estes que são os piores resultados alcançados pelo PAICV nas eleições locais, a sua líder, Janira Hopffer Almada, já colocou o cargo à disposição dos militantes que deverão, proximamente, decidir pela sua continuidade ou não à frente desta principal força da oposição em Cabo Verde. 

Já o líder do MpD, Ulisses Correia e Silva, considerado por analistas como o grande vencedor do escrutínio de domingo, devido ao seu envolvimento pessoal na campanha eleitoral, destacou a "grande vitória" nas autárquicas, sublinhando que o partido conseguiu atingir as suas metas.

"Os Cabo-verdianos responderam positivamente às propostas dos nossos candidatos", anotou Ulisses Correia e Silva, prometendo que "o Estado garantirá a todos igualdade de condições e de tratamento, respeitando a lei e fazendo valer aquilo que são os nossos compromissos, de tal maneira que o poder local se afirme cada vez mais e seja uma realidade cada vez mais pujante".

A estas eleições autárquicas de 4 de setembro corrente seguir-se-ão as presidências marcadas para o próximo dia 2 de outubro, a fim de se pôr fim ao ciclo eleitoral deste ano em Cabo Verde.

Fonte: Panapress

Notícias

Porto Novo: Governo vai investir seis mil contos para apoiar 40 agricultores com o sistema de rega gota-a-gota

Cabo Verde no Fórum Africano para Cultura de Paz com 12 artistas

Hotel e Casino da Praia concluídos até ao final de 2020

​Fogo acolhe em Novembro a 10ª Reunião de ministros do Turismo da CPLP