MpD: “Todas as câmaras serão tratadas de forma igual, respeitando a escolha dos eleitores”

O Coordenador Nacional do MpD para as autárquicas, Rui Figueiredo, garantiu esta quinta-feira, 08, que o partido vai tratar todas as câmaras de igual forma, respeitando escrupulosamente o sentido das escolhas feitas pelos eleitores. O dirigente disse que o MpD passa agora a ter responsabilidades acrescidas na condução dos destinos do país, fazendo com que Governo e poder local trabalhem em sintonia para o desenvolvimento de Cabo Verde.

“A Comissão Politica reconhece que o MpD passa a ter responsabilidades acrescidas na condução dos destinos do país, e reafirma os princípios e valores que norteiam o partido, aceitando com humildade e espírito de serviço público a missão que o povo cabo-verdiano lhe confere”, disse.

Rui Figueiredo exorta o Governo a manter a atitude, “anunciadas” pelo Primeiro-ministro, de tratar todas as câmaras “de igual forma”, respeitando “escrupulosamente” o sentido das escolhas feitas pelos eleitores e “demonstrando” que o poder local constitui um dos “mais importantes parceiros” para se vencerem os desafios do desenvolvimento.

Da mesma forma assegura que a intenção do Executivo “em se empenhar arduamente na capacitação dos eleitos municipais e dos técnicos da administração local, na transferência de meios financeiros e na crescente descentralização de atribuições, para garantir avanços significativos que se impõem nesta nova era”.

Questionado sobre os candidatos ligados ao partido que decidiram avançar como independentes, o dirigente entende que a democracia funcionou e o partido respeita as escolhas dos candidatos, assim com o veredicto feito pelos eleitores.

“Pensamos que em relação a isso a democracia funcionou, e como dissemos a Comissão Politica respeita a escolha dos candidatos, a escolha feita pelos eleitores. A CP escolheu os seus candidatos e em dois casos que candidatos avançaram como independentes e nas câmaras que perdemos, em Santa Cruz e Mosteiros, consideramos com todo a naturalidade e espírito democrático”.

Na Boa Vista, o MpD perdeu a autarquia pela candidatura independente de José Luís Santos, provando assim o desgaste da imagem do antigo edil José Almeida Pinto. “Escolhemos o José Almeida Pinto porque era o candidato que defendia aquilo que o partido tinha para a ilha da Boa Vista. Nós vimos agora nas eleições que de facto a figura estava desgastada, mas isso não impede o partido de ter as suas posições e apresentar as suas propostas ao eleitorado”, conclui.

Fonte: A Semana

Notícias

Porto Novo: Museu das Romarias pronto para receber visitas nas próximas festas de São João – ministro da Cultura

Parque Tecnológico derrapa 30% do custo inicial mas vai ajudar a transformar Cabo Verde num “país digital”, garante Governo

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras