Escritores fundam PEN Club Cabo Verde

á está formalmente constituído o PEN Club de Cabo Verde. Vinte escritores assinaram a carta de Princípios do PEN Internacional, aprovaram os Estatutos e elegeram os órgãos sociais.

Joaquim Arena, o mentor do projecto de criação do PEN Club de Cabo Verde, é o presidente eleito do Conselho Directivo, composto ainda por uma vice-presidente (Natacha Magalhães) e um tesoureiro (Carlos “Kaká” Barbosa).

Nas duas assembleias constituintes, realizadas a 24 de Fevereiro e 3 de Março, foram ainda eleitos os membros da mesa da Assembleia Geral - Manuel Brito-Semedo (presidente), Marilene Pereira (secretária) e Tchalê Figueira (vogal) – e do Conselho Fiscal – Odair B. Varela (presidente), João Spencer (vogal), Gláucia Nogueira (vogal).

Entre os membros fundadores constam ainda Oswaldo Osório, Fátima Bettencourt, Jorge Carlos Fonseca, Filinto Elísio, Márcia Souto, Manuel Veiga, Jorge Tolentino, Joaquim Morais, Ana Paula Fontainhas, Dina Salústio, Odair Varela, João Lopes Filho, Lourenço Gomes, Eurídice Monteiro, Nardi Sousa, Gualberto do Rosário e Ludgero Correia.

“Acreditamos que a literatura contribui para uma ideia maior, mais forte e mais inclusiva da humanidade, da cultura, da democracia e da cidadania, porque contribui para reforçar a consciência individual e coletiva, a liberdade e a democracia, ajudando a criar cidadãos mais conscientes do seus deveres e direitos e mais atentos ao respeito e à tolerância. (…) Acreditamos que a liberdade dos escritores e pensadores, materializada através da sua obra é uma das manifestações maiores do exercício da liberdade de expressão”, lê-se na Carta da Praia, assinada pelos vinte membros fundadores.

Para além desses vinte membros que assinaram presencialmente a Carta do Pen Internacional, critério formal de constituição, vão ser também considerados membros fundadores outras personalidades, que manifestaram interesse e deram o seu apoio à criação do centro PEN Cabo Verde mas, estiveram impossibilitados de estar fisicamente presentes na assembleia constituinte.

A direcção do club espera ainda vir a integrar vários outros membros, entre romancistas, poetas, ensaístas, historiadores, jornalistas e ainda editores e tradutores, para assim alcançar o objectivo de se transformar na maior organização de escritores cabo-verdianos.

Conforme avançara em primeira mão o Expresso das Ilhas online, entre os vários projectos e actividades que a direcção do PEN Club Cabo Verde pretende levar a cabo encontra-se a assinatura de protocolos com diversas instituições nacionais, como as universidades públicas e privadas, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, a Biblioteca Nacional, a Presidência da República, as Câmaras Municipais, a Academia Cabo-verdiana de Letras, a Associação de Escritores Cabo-verdianos, entre outras. Também prevê-se a instituição do Prémio Pen Cabo Verde de Literatura – que irá distinguir anualmente obras de ficção, poesia e ensaio – e o estabelecimento de relações com Centros PEN da sub-região africana, do Brasil e de Espanha.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Novo hospital da Praia é um complemento aos hospitais de Cabo Verde e não vai substituir o HAN – PCA

Câmara Municipal do Sal apresenta plataforma “inovador” GEO Sal

FMI aprova Instrumento de Coordenação de Políticas que vai permitir Cabo Verde acelerar o crescimento económico

Projecto Tartaruga promove capacitação em conceitos e práticas de patrulha do ambiente natural

Fogo: Master plan de turismo das ilhas do Fogo e da Brava identifica duas dezenas de projetos prioritários