Cabo Verde marca presença pela primeira vez na Feira Tricontinental de Artesanato de Tenerife

O país estará representado por 11 artesãos de diferentes ilhas.

Cabo Verde marca presença, pela primeira vez, na Feira Tricontinental de Artesanato de Tenerife, que acontece de 27 de outubro a 4 de novembro, em Santa Cruz de Tenerife, ilhas Canárias.

O país estará representado por uma delegação composta por 11 artesãos que serão acompanhados pelo Diretor do Centro Nacional de Arte, Artesanato e Design (CNAD), Irlando Ferreira.

A 5ª Feira Intercontinental de Artesanato de Tenerife tem como propósito, este ano, promover a difusão das manifestações artesanais do outro lado do oceano atlântico e conta, pela primeira vez, com a presença de oito países, entre eles Cabo Verde.

A feira vai reunir mais de 200 artesãos de 30 países do continente africano, americano e europeu, mestres do artesanato para uma mostra, troca de experiência e a promoção do trabalho em torno do artesanato, que está a ser desenvolvido em cada um desses países.

A participação de Cabo Verde está enquadrada no processo de internacionalização da cultura e no processo da valorização do artesanato no país.

De Cabo Verde seguem seis criadores da ilha de São Vicente: Albertino Silva (Pedra e Metal), Anicete Gomes e Luís Batista (Luthier/construção de instrumento), Atelier Djoy Soares (Cerâmica), Marcelino dos Santos (Tapeçaria), Matilde Gomes (Bolsas e Assessórios); dois de Santo Antão: José Mota e Luís Lopes (Cerâmica); três Santiago: Carlos Gomes (Fibras vegetais), José Cardoso Varela (Tecelagem) e Simplício Silva (Cestaria).

No rol dos países que estarão presentes nesta feira em Tenerife, Cabo Verde é um dos três países convidados.

Conforme o presidente do Cabildo de Tenerife, Carlos Alonso, outra intenção da feira é promover a ligação entre artesanato e outros setores, como hotelaria e moda, a fim de diversificar os usos do produto artesanal.

Fonte: A Nação

Notícias

MasterPlan do Turismo da ilha do Sal apresentado em Santa Maria

Açores apoia Cabo Verde na valorização das cadeias de valor agrícolas

FIC “despede-se” da Laginha com balanço positivo