Workshop nacional prepara novo quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas – UNDAF

O Governo e o Sistema das Nações Unidas realizam hoje, na Cidade da Praia, um workshop nacional de análise e definição das vantagens comparativas das Nações Unidas e a priorização estratégica para o próximo UNDAF (2018-2022).

Segundo nota do SNU, que é parceiro dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e Comunidades e das Finanças, o actual quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas em Cabo Verde – UNDAF, está em implementação desde Junho de 2012 e terminará a 31 de Dezembro de 2017.

“O novo, em preparação, irá cobrir o período de 2018 a 2022, vindo ao encontro das prioridades e desafios nacionais no novo contexto de desenvolvimento nacional e da agenda de desenvolvimento sustentável 2030”, acrescenta a mesma fonte.

“Como tem sido prática, as prioridades deste novo UNDAF devem ser definidas de forma participativa e inclusiva, sempre em estreita concertação e sintonia com as prioridades do Governo, do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável – PEDS e da análise atual da situação do país (Common Country Assessment) feita recentemente pelas agências das Nações Unidas em Cabo Verde”, lê-se na nota.

E é nessa optica que, de acordo com o SNU, o processo de preparação do próximo UNDAF inclui a realização de workshops nacionais de definição das vantagens comparativas e dos principais resultados estratégicos para o país no próximo quinquénio, cuja participação e engajamento das instituições governamentais, municipais, da sociedade civil organizada, do sector privado e dos outros parceiros de desenvolvimento, se revestem de uma “grande importância”.

Assim, para poder apoiar efetivamente os esforços nacionais para alcançar as ambições transformadoras da Agenda 2030 e as metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, o sistema das Nações Unidas precisa adotar uma abordagem integrada de programação, a qual combina acções dos diferentes sectores e envolve a todas as partes interessadas.

Neste sentido, refere a nota, foram identificados quatro princípios de programação que devem estar integrados no UNDAF, no centro dos quais está a máxima de “não deixar ninguém atrás” (leave no one behind). Os outros três princípios de programação a ser incluídos transversalmente no UNDAF são aqueles de direitos humanos, igualdade de género e empoderamento das mulheres; sustentabilidade e resiliência e prestação de contas.

Fonte: InforPress

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”