“Viagem pela História” passa para as mãos da Câmara da Cidade Velha

A “Viagem pela História”, programa que visa recriar acontecimentos históricos relevantes da Cidade Velha, das épocas dos descobrimentos e povoamento de Cabo Verde, passa a ser realizada pela Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, após assinatura, hoje, de um protocolo de parceria com o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

"Viagem pela História" decorrerá este ano num ambiente especial, com os dez anos da elevação da Cidade Velha a património da humanidade.

"Estaremos atentos caso seja necessário mais algum contributo do Ministério da Cultura", prometeu.

"Estamos a trabalhar em fazer varias recriações históricas, nomeadamente em Mindelo e em vários municípios do interior de Santiago, Maio, Brava, para recriar momentos históricos", antecipou o governante.

Para o presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Manuel de Pina, será, assim, possível entender a verdadeira dimensão da história e cultura do património da Cidade Velha.

"E isso vai ser muito bom na mobilização e sensibilização das pessoas, mas também vai levar economia para as famílias, é uma oportunidade para todos, fazer algo em beneficio das suas poupanças, das suas economias para melhorar o nível de vida das pessoas, estou certo de que juntos vamos poder conseguir ir a um bom porto", acredita o autarca.

O programa “Viagem Pela História” visa recriar acontecimentos históricos relevantes. A primeira edição aconteceu em Setembro de 2018 e contou com um grande envolvimento da população local, parceiros que trabalham com a promoção da cultura e do turismo, artistas e criadores.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”