Turistas estrangeiros ultrapassam os dois milhões de dormidas

O mercado português, com 28.620 turistas e 144.362 dormidas, foi o quinto maior emissor para a hotelaria de Cabo Verde no primeiro semestre, representando 8,2% do total de hóspedes e 6,6% do total de pernoitas, concluiu o PressTUR a partir de dados do INE cabo-verdiano.

As estatísticas oficiais permitem calcular que a hotelaria de Cabo Verde, compreendendo hotéis, pensões, pousadas, hotéis-apartamentos, aldeamentos turísticos e residenciais, recebeu no primeiro semestre deste ano um total de 326.387 turistas residentes no estrangeiro, com um aumento em 8,3% ou 24.947 em relação ao período homólogo de 2016.

Em dormidas, o crescimento foi ainda mais forte, por força de uma subida da estada média desses turistas em 1,4%, para 6,5 noites.

Assim, a hotelaria de Cabo Verde teve pela primeira vez mais de dois milhões de dormidas de turistas estrangeiros num primeiro semestre, com o total de 2,135 milhões, +9,8% ou mais 189,7 mil que há um ano.

O Reino Unido, como já vem sendo habitual, foi o primeiro emissor, com 698,8 mil dormidas, seguido por Bélgica e Holanda em conjunto, com 266,8 mil, Alemanha, com 241,6 mil, França, com 199,3 mil, Portugal, com 144,3 mil, e Itália, com 140,6 mil.

Em número de turistas alojados nos estabelecimentos hoteleiros cabo-verdianos, o Reino Unido é também o emissor líder, com 84.220, seguido por França com 39.146, Alemanha com 39.127, Bélgica e Holanda com 34.493, Portugal com 28.620 e Itália com 20.684.

Em estada média, os residentes no Reino Unido são também líderes, com 8,3 noites, seguidos pelos residentes na Bélgica e Holanda com 7,7, Itália com 6,8, Alemanha com 6,2, França com 5,1 e Portugal com 5,0.

Fonte: A Nação

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”