Turismo: Reino Unido lidera entradas e dormidas em Cabo Verde no 3º trimestre

Os visitantes provenientes do Reino Unido foram os que tiveram maior permanência média em Cabo Verde no trimestre em análise, com cerca de 9,5 noites.

O Reino Unido, com 20,5%, do total das entradas no país, continua a liderar como principal mercado emissor de turistas, no terceiro trimestre de 2017. A seguir vêm o mercado de Portugal, Alemanha, cabo-verdianos residentes e países baixos, responsáveis por 15,4%, 9,5%, 8,4% e 8,3%, do total das entradas, respectivamente.

Os dados do INE revelam ainda que, relativamente às dormidas, o Reino Unido também lidera com 31,8% do total, seguido de Portugal, Alemanha e Países Baixos, com 12,9%, 11,3% e 9,2%, respectivamente.

A maioria dos turistas provenientes do Reino Unido preferiu como destinos as ilhas do Sal e da Boavista representando, respectivamente 53,5% e 46,25% das dormidas por eles realizadas e escolheram como local de acolhimento os hotéis, 99,8%.

Já as dormidas dos residentes em Portugal distribuíram-se principalmente pelas ilhas do Sal (47,2%), da Boa Vista (41,0%) e Santiago (7,4%). Os hotéis foram os estabelecimentos mais procurados pelos portugueses, representando cerca de 95,7%.

Já os turistas provenientes da Alemanha escolheram como destino principal a ilha da Boa Vista (54,5%) e em seguida a do Sal (41,2%) para pernoitar. Tal como os portugueses e os do Reino Unido, os alemães também preferiram os hotéis como o principal meio de alojamento, representando 95,0%.

Ainda, segundo os dados apurados pelo INE, os visitantes provenientes do Reino Unido foram os que tiveram maior permanência média em Cabo Verde no trimestre em análise, com cerca de 9,5 noites.

A seguir estão os provenientes da Alemanha e de Países Baixos com 7,9 e 7,4 noites, respectivamente. Já os cabo-verdianos residentes permaneceram, em média, 2,5 noites nos estabelecimentos hoteleiros.

O INE revela ainda que durante o terceiro trimestre de 2017, em média, a taxa de ocupação-cama a nível geral, foi de 56%, contra os 55% registados no trimestre homólogo.

As ilhas da Boa Vista e do Sal tiveram as maiores taxas de ocupação – cama com 85% e 64%, respectivamente.

Também os hotéis foram os estabelecimentos  com maior taxa de ocupação – cama, 68%, seguidos dos aldeamentos turísticos, com 31% e das residenciais, com 19%.

Fonte: A Nação

Notícias

Ponta Calhetona recebeu investimentos de cerca de 12 mil contos

NOSi Akademia recebe mais 48 estagiários

Cabo Verde Airlines começa hoje a ligar as ilhas

Ribeira das Patas Porto Novo: Grupos de mulheres apostam na transformação de frutas para garantir auto-emprego

Cabo Verde Airlines reforça voos para Lisboa com chegada de Boeing 737-300