São Vicente: Mindelact comemora bodas de prata com mais de 70 espectáculos e “várias estreias” – organização

O Festival Internacional de Teatro do Mindelo, Mindelact, comemora em Novembro as bodas de prata com mais de 70 espetáculos e “várias estreias” nacionais e internacionais, assegurou o presidente da Associação Mindelact.

Nesta edição comemorativa dos 25 anos da associação, segundo João Branco avançou na manhã de hoje, em conferência de imprensa, está prevista a participação de 50 companhias oriundas de 13 países, nomeadamente Cabo Verde, Brasil, Portugal, Angola, Guiné Bissau Alemanha, França, Espanha, Itália, Dinamarca, República Checa e Japão.

“É um recorde absoluto de espetáculos, serão 72 espetáculos ao todo, incluindo a extensão da cidade da Praia”, garantiu, admitindo a participação de 150 artistas, para além dos residentes em São Vicente, vindos de outras ilhas e do estrangeiro.

Toda uma movimentação que foi conseguida, conforme a mesma fonte, graças a participação das companhias, que, na maioria, decidiram custear as passagens e todas estão a oferecer os espetáculos a Cabo Verde, o que oficializa esta “economia dos afetos” identificada como um dos lemas do evento.

“Isso para reforçar que os ganhos que Cabo Verde tem com o Mindelact são inquestionavelmente muito maiores do que investimento que o país faz para este evento”, reiterou João Branco.

O festival, que acontece de 6 a 16 de Novembro, vai ser aberto com o espetáculo “Achadiço”, do grupo de Teatro Nacional de São João, Porto (Portugal), que surge na sequência de um acordo assinado entre esta instituição e o Ministério da Cultura de Cabo verde, que “já está a mostrar os resultados”.

Por outro lado, o presidente da Associação Mindelact disse que se regista uma “aposta forte” nas estreias, não só nacionais como internacionais, entre os quais, no Palco 1, no Centro Cultural do Mindelo, o “Manuel d'Novas” do grupo Raíz di Polon, da cidade da Praia, e “Os vivos, o morto e o peixe frito”, do grupo Juventude em Marcha, Santo Antão, que é encenado a partir de um texto do angolano Ondjaki, e que encerra o festival.

No Palco 2 da Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM) assinala-se outras estreias, entre as quais “O Notário”, do cabo-verdiano Yuran Henrique, “Antecâmara”, do grupo cabo-verdiano ‘Um+Um Teatro’, sediado em Portugal, que encerra os espetáculos deste palco, e ainda “Mascaradas”, da francesa Betty Tchomanga, que se apresentou no ano passado com Marlene Freitas.

“É com muita alegria que vamos ter várias estreias absolutas ao longo desta edição”, disse, referindo-se à programação de 11 dias.

Mantém-se ainda outras vertentes como o “Festival Off”, que este ano aborda a temática do alcoolismo, em parceria com a Presidência da República de Cabo Verde e em colaboração com a campanha “Menos álcool, mais vida”.

Não faltará “Teatrolândia”, com o ciclo de contadores de estórias e espectáculos para crianças  e ainda performances e oficinas, que este ano são no total de dez, incluindo uma direcionada às crianças e outra sobre acrobacia para “toda a família”.

A programação é completada ainda com “Teatro na Praça”, que percorre as praças da cidade e comunidades como Salamansa, São Pedro e Norte de Baía.

João Branco ressaltou ainda a extensão na cidade da Praia, que terá entre dez a 11 espetáculos.

Fonte: InforPress

Notícias

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências

​FIC 2019 em “casa apertada” no adeus à Laginha

Operadores registam aumento de turistas com o Programa Cabo Verde Stopover