Santo Antão: Operadores desejam a classificação dos caminhos pedestres como património cultural e histórico da ilha

Os operadores turísticos pediram à Associação dos Municípios de Santo Antão (AMSA) que procure junto do Governo o reconhecimento da rede dos caminhos vicinais existente na ilha, construída na era colonial, como património cultural e histórico, desta região.

Os operadores, já por algumas vezes, defenderam a preservação desses percursos e sua classificação como património da ilha, dada a sua importância histórica, mas também pelo impacto económico que esses itinerários turísticos têm para Santo Antão.

Desde os anos 90, com a prática de trekking (caminhadas em trilhas) em Santo Antão, por parte de milhares de turistas provenientes de vários países europeus, os caminhos pedestres, construídos durante a era colonial para ligar as comunidades, passaram a ser “um grande activo” desta ilha do ponto de vista económico, no entender de alguns operadores.

Os municípios reagiram da melhor forma à proposta dos operadores e prometem sensibilizar o Governo para que, não só esses percursos, mas também as antigas levadas, também construídas na era colonial, sejam valorizados e classificados a património cultural e histórico de Santo Antão.

O presidente da AMSA, Orlando Delgado, concorda que Santo Antão tem a maior rede de caminhos vicinais de Cabo Verde, defendendo, por isso, a necessidade de os municípios e toda a classe empresarial desta ilha trabalharem no sentido de uma maior valorização dessas acessibilidades.

“Vamos ter que trabalhar no sentido de levar o Governo a classificar esses caminhos como património”, sublinhou o presidente da AMSA, enaltecendo a oportunidade da proposta dos operadores turísticos.

A AMSA, segundo Orlando Delgado, tem em preparação um programa de recuperação e sinalização dos caminhos vicinais em Santo Antão, mas as câmaras já têm contado com o apoio do Governo na manutenção desses percursos.

Alguns empresários têm estado, igualmente, a pedir a elevação de alguns sítios em Santo Antão a património natural da humanidade, como é caso de Fontainhas e Corda, ambas situadas no município da Ribeira Grande.

Sites e revistas ligadas ao turismo têm colocado Fontaínhas no “top 10” das aldeias com a melhor vista do mundo.
Fonte: InforPress

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”