Projeto "Turismo e comunidades: iniciativas locais de criação de emprego” apresentado hoje na Ponta do Sol

O projeto “turismo e comunidades: iniciativas locais de criação de emprego”, financiado pela cooperação luxemburguesa, foi lançado, oficialmente, hoje na sala de conferências de uma unidade hoteleira da cidade da Ponta do Sol.

O projeto “turismo e comunidades: iniciativas locais de criação de emprego”, financiado pela cooperação luxemburguesa, foi lançado, oficialmente, hoje na sala de conferências de uma unidade hoteleira da cidade da Ponta do Sol.

Durante a cerimónia, que contou com a presença do Secretário de Estado para a Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, e dos presidentes das três Câmaras Municipais da ilha de Santo Antão, foram apresentados os 10 projetos seleccionados para a ilha de Santo Antão, cuja implementação já pode arrancar.

É que, segundo responsáveis do projeto “turismo e comunidades: iniciativas locais de criação de emprego”, as Associações Comunitárias de Desenvolvimento seleccionadas já assinaram os contratos e receberam 50% do financiamento, pelo que as condições estão criadas para o arranque da sua implementação.

Um projeto de cada concelho foi selecionado para ser apresentado como exemplo e a escolha recaiu sobre o projeto “pousada turística dragoeiro”, da Associação de Desenvolvimento integrado de Matinho de Leste e Monte Joana (ADIM), na Ribeira Grande, o projeto “rota do café de Santa Isabel”, apresentado pela Associação Comunitária de Agricultores e Criadores de Gado de Santa Isabel, no Paul, e o projecto “LILUA: iniciativa comunitária de turismo e preservação ambiental do planalto norte”, apresentado pela Associação de Desenvolvimento Comunitário Luz Verde do Norte, no concelho do Porto Novo.

Promover o turismo rural e comunitário como factor de geração de rendimentos, promoção de emprego e auto-emprego junto das comunidades da ilha de Santo Antão, particularmente dos jovens e das mulheres, é o objectivo deste projecto, cujo financiamento ronda os 32 mil contos.

A ideia é que esse projeto possa contribuir para a geração de rendimentos, a criação de emprego e auto-emprego e a sustentabilidade das actividades socioeconómicas geradas, além de contribuir para o reforço de capacidades e competências das organizações da sociedade civil/associações comunitárias “enquanto atores determinantes na dinamização da economia e na prestação de serviços a nível local”, lê-se na ficha síntese do projeto.

O projeto pretende, igualmente, contribuir para a inovação ou reforço de micro empreendimentos e outras iniciativas locais de prestação de serviços, produção e agregação de valor em várias atividades de natureza comunitária ou familiar, nomeadamente no atendimento a turistas, alojamento, produção e transformação agro-alimentar, artesanato, uso dos resíduos, entre outros.

Fonte: Sapo CV

Notícias

Ponta Calhetona recebeu investimentos de cerca de 12 mil contos

NOSi Akademia recebe mais 48 estagiários

Cabo Verde Airlines começa hoje a ligar as ilhas

Ribeira das Patas Porto Novo: Grupos de mulheres apostam na transformação de frutas para garantir auto-emprego

Cabo Verde Airlines reforça voos para Lisboa com chegada de Boeing 737-300