​Projecto “Florestas Pedagógicas” abrange escolas de Santiago, Fogo e Boavista

A segunda fase da Campanha Nacional sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas arrancou hoje, na cidade da Praia, com o projeto “Florestas Pedagógicas”. A iniciativa consiste na instalação em escolas-piloto de um conjunto de árvores constituído por nove árvores de espécies diferentes e com um significado na floresta de Cabo Verde.

O gestor do projeto “Florestas Pedagógicas” da FAO, esteve esta manhã na escola Eugénio Tavares, onde foi plantada a primeira árvore.

José Castro diz que esse projeto visa reforçar o sector florestal do arquipélago, relativamente à adaptação e à mitigação das alterações climáticas.

"Este é um produto muito específico do projecto “Reflôr”, que é um projeto que visa reforçar o setor florestal de Cabo Verde, relativamente à adaptação e à mitigação das alterações climáticas que precisa, que é um projeto grande. É projeto do Ministério de Agricultura e Ambiente, que envolve 5 milhões de euros, financiados na sua quase totalidade pela União Europeia”, explica.

José Castro adianta ainda que o projeto “Florestas Pedagógicas”, tem vários componentes, nomeadamente, atuar na floresta e ir ao encontro dos compromissos sobre a alteração climática assumida pelo Estado de Cabo Verde.

"Tem uma componente de reforço do componente institucional, com formação de quadros do Estado e alteração mesmo de alguns instrumentos de gestão territorial relativamente a floresta. Tem um segundo produto que é atuar na própria floresta ou seja, renaturalizar, reforçá-la, aumentar a aérea da floresta, sobre tudo indo ao encontro daqueles compromissos que o Estado Cabo-verdiano assumiu relativamente as alterações climáticas na conferência de Paris, e depois tem um terceiro componente que é dedicado a sociedade civil", avança

A segunda fase da Campanha Nacional sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Intitulado “Florestas Pedagógicas”, abrange quatro escolas de Santiago, e escolas das ilhas do Fogo e da Boa Vista.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis