Presidenciais: Jorge Carlos Fonseca descreve sua reeleição como a "mais expressiva de sempre da democracia cabo-verdiana"

O Presidente da República, reeleito, Jorge Carlos Fonseca, descreveu hoje a sua vitória nas eleições como "a mais expressiva de sempre da democracia cabo-verdiana" com triunfo em todas as ilhas e diáspora.

O candidato reeleito disse que a democracia cabo-verdiana está de parabéns e que a sua eleição simboliza uma vitória de cidadania, de todas as mulheres e de todos os homens que, a seu ver, prezem por esta eleição história do ponto de vista de resultado, "muito acima de 70%".

Jorge Carlos Fonseca considera que o exercício do mandato anterior fez com que "muitos considerassem que a vitória desejada era segura", o que, acredita, contribuiu para a elevada taxa de abstenção.

Prometeu "continuar a ser fiel à Constituição”, cumprido o papel do mais alto magistrado da nação “com rigor, isenção e total independência", tendo, por isto, considerando que foi honrosamente reconduzido para ser o Presidente da República, enquanto cimento da nação para garantir os superiores interesses do país.

"Saberei honrar, de forma integral e permanente, o mandato que hoje me foi confiado por vós, e prometo cumprir o mandato de forma dedicada e leal com todos os organismos, atestou Jorge Carlos Fonseca, que pretende ser um “promotor ativo do diálogo” entre as instituições eleitas democraticamente, mas também, um promotor da paz, do desenvolvimento social e da coesão territorial.

"Cabo Verde precisa de todos e conto com todos", enfatizou, prometendo trabalhar para fazer da nação um espaço de maior desenvolvimento humano, social e económico, e aplicar toda a sua experiência e inteligência, para cumprir, “de corpo e alma, com toda a energia, força e dedicação” o compromisso de ser "O Presidente Sempre com as Pessoas".

"O resultado expressivo desta eleição comprova o sentimento de que fiz uma campanha pela positiva, com ideias e propostas concretas, motivada por um espírito construtivo de cidadania e animada por uma comunhão de vontades", salientou o reeleito chefe de Estado, para quem a democracia faz-se todos os dias e Cabo Verde ganhou com esta campanha.

Afirmou, igualmente, que os eleitores escolheram um candidato que fez uma campanha positiva, no terreno, em todos os comícios, nos tempos de antena, em todos os debates e em todas as intervenções.

"É tempo, agora, de olhar para frente", enfatizou Jorge Carlos Fonseca.

O jurisconsulto Jorge Carlos Fonseca foi reeleito hoje Presidente da República, durante as sextas eleições presidenciais realizadas na história de Cabo Verde, tendo alcançado, segundos dados provisórios, 74% de votos, num escrutínio marcado por uma elevada taxa de abstenção, 63,6%.

De acordo com os mesmos dados, Jorge Carlos Fonseca, o candidato "O Presidente Sempre Junto com as Pessoas", regista um total de 90.604 votos, num universo de 125.146 votantes a nível global (círculo nacional e diáspora).

Albertino Graça, o candidato do “Equilíbrio”, ficou no segundo posto, com 27.644 votos, correspondente a 22,6%, ao passo que Joaquim Monteiro, o auto-proclamado "Candidato do Povo" ficou no terceiro lugar ao somar 4,213 votos, equivalente a 3,4%.

Ao todo, 125.202 eleitores exerceram o direito de voto, equivalente a 36,3%, enquanto 219.300 inscritos, correspondente a 63,7 %, decidiram pela abstenção.

Jorge Carlos Fonseca torna-se no terceiro Presidente da República, reeleito para o segundo mandato, seguido de António Mascarenhas Monteiro e Pedro Pires.

Dados avançados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) revelam que nestas eleições presidenciais foi registado um total de 361.206 eleitores inscritos, dos quais 314.073 votantes no território nacional e 47.133 na diáspora.

Fonte: InforPress

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis