Picos/Turismo: Município prepara-se para receber a sua “quota parte” de um milhão de turistas previstos até 2020

O presidente da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo, Ângelo Vaz, disse à Inforpress que o município está a preparar-se para receber a sua “quota-parte” de um milhão de turistas previstas pelo Governo até 2020.

O presidente da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo, Ângelo Vaz, disse à Inforpress que o município está a preparar-se para receber a sua “quota-parte” de um milhão de turistas previstas pelo Governo até 2020.

“O país vive actualmente um bom momento a nível turístico (…) e a média que se estabeleceu até 2020 é que possa receber um milhão de turistas. (…) então nós devemos estar preparados para receber também a nossa quota-parte”, afirmou o autarca.

Em entrevista exclusiva à Inforpress, a propósito das políticas do município para o sector do turismo, o edil salvadorenho lembrou que o município, enquanto instituição, tem desenvolvido várias actividades e projectos, que aliás, lembrou iniciou-se pelo desencravamento.

É que, segundo ele, o município tem muitas potencialidades a nível do turismo como miradouros naturais e paisagens bonitas, mas que estavam em zonas encravadas, que dificultavam o acesso.

Por isso, o executivo camarário entendeu que deveria “atacar” primeiro a questão do desencravamento para que os turistas possam aceder a estes “pontos atractivos”, e a seu ver, estão a conseguir tal desiderato nesse momento, tomando como exemplo Picos Acima, Leitão Grande e Mato Dentro e Ribeira Grande.

Relativamente ao projecto para o sector do turismo, o autarca apontou a sinalização das zonas, sobretudo as com miradouros naturais que vão receber obras, infra-estruturas turísticas e requalificação da cachoeira como “grandes projectos” para os “próximos tempos”.

Relativamente a sinalização dos pontos turísticos, o presidente da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo fez saber que o projecto já tem financiamento garantido pelo Fundo do Turismo e que o concurso está a decorrer.

Já em relação à criação de infra-estruturas turísticas, Ângelo Vaz enalteceu o facto do município estar a registar “boas iniciativas”, referindo-se a um espaço em Achada Leitão e um “pequeno hotel” que vai nascer zona de Babosa, e entre outras iniciativas de privados para que possam receber de facto com “alguma dignidade” os turistas que procuram aquele município rural no interior de Santiago.

Nesse sentido, defendeu uma “parceria muito forte” entre os sectores público e privado para que “todos juntos” possam tirar as vantagens do turismo que se está a sentir no país.

“Hoje, facilmente vê-se caravana de turistas que passam por Picos. Nós não queremos que Picos seja somente um ponto de passagem, mas que também possa ser uma paragem obrigatória para poder deixar algum rendimento para as famílias e os operadores que estão a surguir em São Salvador do Mundo”, notou o autarca.

Ainda no que diz respeito à infra-estruturação, Ângelo Vaz avançou que no primeiro trimestre de 2020 que as obras de reabilitação da cachoeira vão arrancar, com financiamento já garantido do Fundo do Ambiente e Fundo do Turismo.

“(…) Esta obra vai ter o impacto ao nível do turismo sazonal da ilha de Santiago, porque nos meses de Setembro, Outubro e Novembro muita gente vem para o interior, neste caso para os Picos à procura de algo diferente e nessa zona de Leitão Grande. Temos óptimas condições para oferecer a todos que passem por este sítio, com condições únicas de diversão, de momento de confraternização quer seja em família ou em grupos. Estamos a trabalhar nesse sentido, portanto, vai ser um bom cartão de visita para São Salvador do Mundo”, disse.

As obras de reabilitação consistem, sobretudo, na construção de parque de estacionamento, acessibilidades em escadaria, parques para piqueniques e duas casas de banho.

Para o próximo ano, o presidente da câmara de São Salvador do Mundo avançou que “um bom número” de miradouros existentes no município, já estão identificados, vão, igualmente, ser sinalizados.

Questionado sobre os projectos para o turismo até o final do mandato, Ângelo Vaz respondeu nesses termos: “Para o turismo, até o final queremos continuar nesse caminho que é de criar cada vez melhor condições para que, de facto, Picos possa entrar na agenda do turismo da ilha de Santiago, mas também da agenda nacional”.

Fonte: Economia

Notícias

Açores apoia Cabo Verde na valorização das cadeias de valor agrícolas

FIC “despede-se” da Laginha com balanço positivo

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências