Parlamento cabo-verdiana debate programa do novo Governo

O Parlamento cabo-verdiano discute desde segunda-feira o Programa do Governo da IX Legislatura, dirigido pelo Movimento para a Democracia (MpD), partido vencedor, com maioria absoluta, das eleições legislativas de 20 de março último, apurou a PANA na cidade da Praia, de fonte  parlamentar.

No primeiro dia deste debate parlamentar sobre o programa apresentado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, foi reafirmado o compromisso, assumido pelo MpD durante a campanha eleitoral, de "cumprir as promessas feitas, nomeadamente a implementação de um novo modelo económico que se possa traduzir num crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de sete porcento e na criação de 45 mil postos de trabalho nos próximos cinco anos".

Na apresentação do documento, o primeiro-ministro reafirmou que o propósito de fazer um corte com a agenda de transformação "falhada" do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), força política que governou o arquipélago cabo-verdiano nos últimos 15 anos.

Ulisses Correia e Silva considera que a situação económica e financeira do país está "difícil e preocupante" e que o ambiente institucional, económico, social e educativo não está bom e que não favorece e nem impulsiona o crescimento e o desenvolvimento.

Assim sendo, o chefe do Governo promete, entre outros pontos, reduzir o imposto sobre o rendimento das pessoas singulares e das empresas em cinco pontos percentuais até ao final da legislatura.

"O propósito para médio e longo prazo é reservar um papel residual aos impostos sobre os rendimentos e colocar o foco na tributação sobre a despesa através do aumento da base tributária", precisou.

Segundo ele, o Governo vai "alterar de imediato" o Código de Benefícios Fiscais, reduzindo o limite mínimo do investimento para se poder aceder a incentivos, tornar a economia mais competitiva e atrair investimentos estrangeiros.

Ulisses Correia e Silva promete ainda eliminar a dupla tributação e estabelecer acordos para evitar a dupla tributação sobre os rendimentos com os países de origem de investimentos para Cabo Verde.

Na sua estreia também como líder parlamentar do PAICV, a presidente do agora principal partido da oposição, Janira Hopffer Almada, garante que o MpD recebe uma "boa herança" para governar, salientando "ganhos incontestáveis" da agenda de transformação do anterior Governo.

A este propósito, ela disse não ver nenhumas diferenças entre o modelo económico do MpD e o do PAICV, salientando que o atual Executivo apresenta uma "visão de continuidade" da agenda de transformação do Governo anterior que agora é posta em causa por Ulisses Correia e Silva.

Janira Hopffer Almada não aceitou que a agenda de transformação do Governo, então liderado pelo ex-primeiro-ministro José Maria Neves, tivesse falhado, garantindo que "não vai compactuar com a tentativa de zerar" o que foi conseguido nas últimas três legislaturas.

O Parlamento da IX legislatura, constituído a 20 de abril último, integra 40 deputados do MpD, que venceu as legislativas de 20 de março último, 29 do PAICV e três deputados da União Cabo-Verdiana, Independente e Democrática (UCID).

Fonte: Panapress

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”