Mobilidade dentro da CPLP é importante para que cada cidadão sinta a comunidade como sua – António Costa

O primeiro-ministro português, António Costa, reiterou hoje, na Cidade da Praia, a importância da mobilidade dentro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para que cada cidadão sinta a mesma como algo que é seu.

O chefe do Executivo de Portugal fez a afirmação, em declarações à imprensa no final de uma visita de cortesia efetuada ao Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, à margem da IV Cimeira de Chefes de Governo de Cabo Verde e de Portugal, que teve lugar hoje na capital do país sob o tema “Crescimento sustentável em segurança”.

António Costa revelou que ainda hoje o Governo português entregou ao Executivo cabo-verdiano um documento de trabalho sobre a mobilidade, resultado de uma iniciativa conjunta entre os dois Estados, que foi “muito bem aceite”.

“Para o ano que vem, Cabo Verde vai assumir a presidência da CPLP e contamos que, juntos, possamos ajudar a dinamizar este projeto, que é muito importante para que cada cidadão dos Estados membros da CPLP, sinta a comunidade como algo que é seu”, frisou.

Para o primeiro-ministro daquele país europeu, só assim os cidadãos vão poder, no seu dia-a-dia, circular livremente no espaço da comunidade, fixar residência, ver as suas habilitações académicas reconhecidas em todo o espaço e poderem aceder ao exercício das profissões reguladas em qualquer um dos países.

“Da nossa parte, o timing para a efetivação desse processo, quanto mais cedo, melhor para podermos levar essa missão para frente”, sublinhou, lembrando que o acolhimento que a ideia teve na Cimeira do Brasil, em 2016, foi “muito positivo” por parte de todos os Estados-membros.

Costa que diz contar com a colaboração de todos para que possam avançar, em parceria com Cabo Verde, teve, imediatamente, a resposta do ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades, Luís Filipe Tavares, que o acompanhava, de que o arquipélago está, também, empenhado nesse processo.

Quanto ao encontro com o Presidente da República, António Costa explicou que faz parte do diálogo político “muito intenso” que Portugal e Cabo Verde mantém, recordando que em Abril, o Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo e Sousa, fará também uma visita a Cabo Verde.

Presentes no encontro com Jorge Carlos Fonseca estiveram, da parte de Portugal, os ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, da Defesa Nacional, José Lopes, do Ambiente, João Pedro Fernandes, da Educação, Tiago Brandão Rodrigues e da ministra da Administração Interna, Constança Sousa.

As secretárias de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, Adjunta do Primeiro-ministro, Mariana da Silva e Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, assim como a embaixadora de Portugal em Cabo Verde, Helena Paiva, também participaram na visita.

Da parte de Cabo Verde, para além do ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades, Luís Filipe Tavares, marcou presença o embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro.

Acimeira luso-cabo-verdiana que foi instituída pelo Tratado de Amizade e Cooperação, assinado entre os dois países, em 2010, em Lisboa, tem o intuito de avaliar o estado das relações entre os dois países e propor medidas para a sua dinamização e diversificação, sobretudo, no eixo cooperação.

Depois do encontro com o Presidente da República, António Costa presidiu a inauguração da escola portuguesa na Cidade da Praia, para no último ponto da sua estada de 24 horas em Cabo Verde, reunir-se com a comunidade portuguesa no país.

Fonte: InforPress

Notícias

Ponta Calhetona recebeu investimentos de cerca de 12 mil contos

NOSi Akademia recebe mais 48 estagiários

Cabo Verde Airlines começa hoje a ligar as ilhas

Ribeira das Patas Porto Novo: Grupos de mulheres apostam na transformação de frutas para garantir auto-emprego

Cabo Verde Airlines reforça voos para Lisboa com chegada de Boeing 737-300