Leão de Prata de Veneza para cabo-verdiana Marlene Freitas

Considerada um dos maiores talentos da sua geração, Marlene Monteiro Freitas tem sido a surpresa das últimas temporadas.

A coreógrafa cabo-verdiana Marlene Monteiro Freitas foi distinguido com um prémio de carreira da Bienal de Dança de Veneza, em Itália. O prémio vai ser entregue também a norte-americana Meg Stuart.

Marlene Monteiro Freitas receberá o Leão de Prata e Meg Stuart o Leão de Ouro, a 22 de Junho, na abertura do 12º Festival Internacional de Dança Contemporânea.

Nascida em 1979, em Cabo Verde, onde fundou o grupo de dança Compass, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas cofundou em Lisboa a estrutura cultural P.O.R.K, com a qual assinou coreografias como ‘Bacantes – Prelúdio para uma purga’, “marfim e carne – as estátuas também sofrem” e ‘Paraíso’.

É “uma das mais talentosas da sua geração”, que se interessa mais pela “metamorfose e deformação”, que trabalha mais com as emoções do que os conceitos, e que apaga as fronteiras do que é esteticamente correto, lê-se na nota de imprensa, citada pela agência Lusa.

“Considerada um dos maiores talentos da sua geração, Marlene Monteiro Freitas tem sido a surpresa das últimas temporadas, com a sua presença eletrizante e a força dionisíaca dos seus espetáculos”, explica o comunicado.

Nas anteriores edições, o Leão de Prata da dança foi atribuído aos Estúdios Anne Teresa De Keersmaker (2010), o italiano Michele Di Stefano (2014) e a canadiana Dana Michel (2017).

Fonte: A Nação

Notícias

Associação das Agências de Viagens e Turismo de Cabo Verde aplaude novas regras de vistos Schengen

Santo Antão: Associação dos municípios investe três mil contos na tradução de guia turístico para francês, inglês e alemão

Cabo Verde seduz turistas americanos e brasileiros com isenção de vistos

Turismo: Santo Antão ganha em 2020 mais um centro de turismo e de interpretação turística

Antevisão para 2020 : Ano de muitas actividades culturais