Leão de Prata de Veneza para cabo-verdiana Marlene Freitas

Considerada um dos maiores talentos da sua geração, Marlene Monteiro Freitas tem sido a surpresa das últimas temporadas.

A coreógrafa cabo-verdiana Marlene Monteiro Freitas foi distinguido com um prémio de carreira da Bienal de Dança de Veneza, em Itália. O prémio vai ser entregue também a norte-americana Meg Stuart.

Marlene Monteiro Freitas receberá o Leão de Prata e Meg Stuart o Leão de Ouro, a 22 de Junho, na abertura do 12º Festival Internacional de Dança Contemporânea.

Nascida em 1979, em Cabo Verde, onde fundou o grupo de dança Compass, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas cofundou em Lisboa a estrutura cultural P.O.R.K, com a qual assinou coreografias como ‘Bacantes – Prelúdio para uma purga’, “marfim e carne – as estátuas também sofrem” e ‘Paraíso’.

É “uma das mais talentosas da sua geração”, que se interessa mais pela “metamorfose e deformação”, que trabalha mais com as emoções do que os conceitos, e que apaga as fronteiras do que é esteticamente correto, lê-se na nota de imprensa, citada pela agência Lusa.

“Considerada um dos maiores talentos da sua geração, Marlene Monteiro Freitas tem sido a surpresa das últimas temporadas, com a sua presença eletrizante e a força dionisíaca dos seus espetáculos”, explica o comunicado.

Nas anteriores edições, o Leão de Prata da dança foi atribuído aos Estúdios Anne Teresa De Keersmaker (2010), o italiano Michele Di Stefano (2014) e a canadiana Dana Michel (2017).

Fonte: A Nação

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”