Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Porto Inglês, 22 Out (Inforpress) –  A Fundação Maio Biodiversidade  (FMB) fez hoje um “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas, em 2019, em que registou uma “redução significativa” da apanha, num total de sete mil e quinhentos ninhos registados.

Em declarações à Inforpress, o  coordenador da patrulha da campanha de protecção das tartarugas marinhas, Leno dos Passos, assegurou que este ano o registo dos  ninhos situou-se numa cifra que estavam a espera, depois de terem registado no ano passado uma quantidade que considerou “fora do normal”, tendo em conta que o número de ninhos “superou todas as expectativas”.

Leno Dos Passos avançou ainda que apesar da época da protecção já ter terminado, ainda vão continuar com os líderes das equipas no terreno para a realização do senso nas diversas praias.

Destacou como “um dos grandes ganhos” da campanha deste ano a diminuição de apanha das tartarugas.

“No ano passado registamos cerca de 55 apanha de tartaruga, mas este ano registamos somente 19 apanha, graças ao trabalho feito pelas equipas de patrulha mas também devido ao impacto da nova lei, porque sentimos que as pessoas estão mais sensibilizados quanto a isto”, salientou.

Segundo aquele responsável, este ano conseguiram mobilizar oito grupos organizados como clubes de futebol e grupo de jovens, com destaque para vila de Barreiro, onde a equipa local teve a iniciativa de dividir com a FMB em 50 por cento (%) a responsabilidade de fiscalizar as praias.

“Ficamos extremamente satisfeitos, porque a vila de Barreiro era o local em que registávamos maior número de apanha, mas que este ano graças a colaboração da equipa local, este praticamente não registamos nenhuma presença de apanha e dos apanhadores nas praias, o que nos motiva a espalhar esta experiencia a outras localidades” informou.

Referente a participação de voluntários nacionais e internacionais, Leno dos Passos afiançou que a FMB teve a colaboração dos voluntários nacionais provenientes da Cidade da Praia do grupo Safende Tudo Hora, bem como dos estudantes da Universidade de Cabo Verde e de voluntários internacionais, com destaque para Portugal, graças à colaboração da Associação para Onde, que enviou cerca de 50 jovens  voluntários.

“Este ano recebemos o maior número de voluntários, o que nos ajudou nos trabalhos de patrulha, o que também veio a contribuir para mais benefícios as famílias que as recebem nas suas casas”, enfatizou.

Sobre os viveiros, Leno dos Passos referiu afiançou que este ano realocaram cerca de 200 ninho para aquele sítio, o que permitiu que muitas pessoas residentes, bem como turistas, pudessem ver e acompanhar todo o processo de encubação dos ninhos.

A campanha de conservação e patrulha deste ano contou com vários parceiros nacionais e internacionais.

Fonte: Ambiente

Notícias

Açores apoia Cabo Verde na valorização das cadeias de valor agrícolas

FIC “despede-se” da Laginha com balanço positivo

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências