Companhia aérea Binter inicia voos domésticos em Cabo Verde

A Binter Cabo Verde (Binter CV), companhia área filial da empresa do mesmo nome sediada nas ilhas Canárias, iniciará sábado voos domésticos no arquipélago cabo-verdiano com a inauguração da rota Santiago-São Vicente-Sal, anunciou terça-feira o seu diretor-geral, Raul Zapico.

Em conferência de imprensa na capital cabo-verdiana, Raul Zapico, explicou que a sua empresa começa a voar entre as ilhas cabo-verdianas supracitadas depois de ter recebido, segunda-feira última, uma certificação da Autoridade de Aviação Civil para operar no país.

Prometeu preços competitivos nas ligações da Binter CV entre as ilhas cabo-verdianas, que ocorrem dois anos depois de a empresa se ter instalado no país.

O arranque dos voos vinha sendo anunciado desde de 2015, tendo no entanto sucessivamente adiado por dificuldades relativas à obtenção do necessário certificado das autoridades aeronáuticas locais.

A companhia vai arrancar a operação com um avião, esperando que, na próxima semana, possa começar a operar um segundo aparelho.

"Na próxima semana, contamos ter já dois aviões a voarem em Cabo Verde. Os aviões vão fazer duas ligações diárias entre Santiago, São Vicente e Sal", disse Zapico, assegurando que a ideia é permitir aos passageiros deslocarem-se de uma ilha para a outra e regressarem no mesmo dia.

Segundo ele, a empresa pretende também cobrir todas as ilhas cabo-verdianas, devendo para o efeito chegar em janeiro ao arquipélago um terceiro avião para aumentar as ligações não só entre as três ilhas principais, designadamente Santiago, São Vicente e Sal, como fazer também a ligação com as do Maio, São Nicolau e Fogo.

O diretor-geral da Binter CV promete, igualmente, proporcionar mobilidade, regularidade e pontualidade num mercado atualmente com 300 mil passageiros, perspetivando um aumento  para 600 a 700 mil passageiros.

Sendo até ao momento os voos entre várias ilhas cabo-verdianas assegurados, em exclusivo, pela empresa Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), o responsável da Binter CV considera que "a concorrência faz as empresas baixarem os custos e, se os custos baixarem, os preços das passagens baixam também e com essa baixa de preços, mais Cabo-verdianos vão ter a opção de viajar entre as ilhas".

Ele prometeu que a companhia terá cinco tarifas "bastante competitivas", de modo a permitir aos Cabo-verdianos viajarem mais no seu próprio país.

Fonte: Panapress

Notícias

Associações açorianas vão celebrar protocolo “pioneiro” de cooperação com Cabo Verde

Fundação Maio Biodiversidade faz “balanço positivo” da campanha de protecção das tartarugas marinhas

Turismo de Cruzeiro: Santo Antão afirma-se no segmento de mercado dos navios de médio e pequeno porte

Governo lança obras de reabilitação das duas casas de Eugénio Tavares na Ilha da Brava

“Até hoje faltou um organismo capaz de dialogar com os empresários do sector turístico”