Chefes da diplomacia da CPLP tentam consenso em torno da mobilidade

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, reunidos no Mindelo, tentam hoje chegar a um consenso sobre o tema da mobilidade dentro do espaço lusófono. Entendimento que não se prevê fácil.

A XXIV reunião ordinária do conselho de ministros da organização lusófona acontece ao longo da manhã, presidida por Cabo Verde, sob o lema "a mobilidade como factor de coesão e construção de cidadania na CPLP".

A diplomacia cabo-verdiana apresentou um modelo de integração comunitária que prevê estadias até 30 dias isentas de vistos e vistos de curta duração para profissionais, investigadores e docentes, além de autorizações de residência de forma muito mais simples. 

"Cabo Verde tem vontade política, Cabo Verde quer trabalhar com todos, nós queremos um acordo a nove, mas fizemos uma proposta de geometria variável, queremos um acordo de princípio e depois os países, entre si, poderão ajustar a forma de mobilidade que entenderem", disse na quinta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, citado pela Lusa. 

Também na quinta-feira, o embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, relembrou que ainda existem entraves à aprovação da proposta.

“Registámos avanços significativos, mas não seria justo não reconhecer que temos tido alguma dificuldade em relação a algumas matérias", disse.

Do lado de Portugal, representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, o país garante estar pronto a avançar. 

"Estamos preparados para a amplitude máxima de passos. Muito simples, em garantirmos o automatismo da possibilidade do direito de residir e circular por Portugal a todos os nacionais da CPLP, por serem nacionais de um país da CPLP", explicou à agência portuguesa de notícias, Lusa. 

"Eu estou seguro de que vai haver passos. Qual é a largura desses passos? Isso estou como um célebre jogador de futebol português, que dizia que prognósticos só no fim do jogo", acrescentou.

A reunião dos ministros dos Negócios começa às 09h00 e prolonga-se até às 13h00, seguida de uma conferência de imprensa. 

Cabo Verde elegeu a mobilidade como a questão central da sua presidência da CPLP, num mandato de dois anos, 2018-2020.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste integram a organização.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis