Cabo Verde socializa projeto de relançamento das culturas

A capital cabo-verdiana, Praia, acolhe hoje quarta-feira, dia 2, um encontro para a socialização do projeto de “relançamento das culturas fruteiras em Cabo Verde”, financiado pela FAO em cerca de 350 mil dólares americanos, apurou a PANA de fonte oficial.

O encontro, organizado pelo Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) e pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), tem também como objetivo definir e aprovar os instrumentos de gestão do projeto que vai ser implementado nas ilhas de Santo Antão, São Nicolau, Fogo e Santiago num período de dois anos.

Segundo uma fonte do MAA, este projeto vai permitir a melhoria da fruticultura, através do reforço das bases técnicas, pela seleção e multiplicação de material de plantação de qualidade e formação dos agricultores através da investigação, animação rural e associações de agricultores.

O projeto vai ainda contribuir para o abastecimento do mercado consumidor interno e para o desenvolvimento do mercado turístico, com frutas de boa qualidade por um longo período do ano e, especialmente, para a melhoria do estado nutricional da população.

Para o efeito, vai diversificar-se a fruticultura em certas espécies, nomeadamente a manga, o mamão, o ananás, o morango, o abacate, o citros e o coco, e em variedades de frutas prioritárias cujos interesses agronómicos, nutricionais e económicos são significativos.

O protocolo referente ao projeto de “Relançamento de culturas de fruteiras em Cabo Verde” foi  assinado, em maio passado, pelo representante da FAO em Cabo Verde, Rémi Nono Womdim, e pelo ministro cabo-verdiano da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva.

Para o representante da FAO no arquipélago, “o projeto vai promover as cadeias de valores e incentivar a participação dos seus produtores, para poderem aumentar a sua renda, permitindo igualmente aos agricultores o acesso a plantas de qualidade e a diversificarem a sua produção”.

Por sua vez, Gilberto Silva realçou a necessidade de Cabo Verde tirar o proveito das potencialidades que o país oferece para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no domínio da fruticultura.

“Há que reconhecer que a fruticultura é claramente uma das áreas de produção que se afigura com maiores potencialidades de desenvolvimento. Aliás o rácio de autossuficiência em frutas na ordem de 75% encoraja o Governo a imprimir uma atenção privilegiada à fruticultura”, precisou o governante.

Este projeto de relançamento de culturas de frutas em Cabo Verde complementa a agricultura urbana e periurbana e também o das florestas urbana e periurbana, já em execução no país.

Fonte: Panapress

Notícias

Ponta Calhetona recebeu investimentos de cerca de 12 mil contos

NOSi Akademia recebe mais 48 estagiários

Cabo Verde Airlines começa hoje a ligar as ilhas

Ribeira das Patas Porto Novo: Grupos de mulheres apostam na transformação de frutas para garantir auto-emprego

Cabo Verde Airlines reforça voos para Lisboa com chegada de Boeing 737-300