Binter Cabo Verde já tem certificado e começa a voar na próxima semana

Neste momento, todos os departamentos da Binter Cabo Verde (comercial, call center, operações de terra, vendas, qualidade, entre outros) estão a ser organizados com vista à prestação de um “serviço de qualidade”.

A Binter Cabo Verde recebeu ontem da Agência de Aviação Civil (AAC) o certificado que lhe permite iniciar as operações no mercado cabo-verdiano a partir da próxima semana, anunciou ontem o ministro da Economia e Emprego.

“Hoje a AAC autorizou a operação de Binter Cabo Verde que vai operar no mercado nacional e a inauguração é para a semana, ou seja, com a licença de operação que passou por um processo longo de cerca de dois anos, começar a operar”, assegurou José Gonçalves, em declarações à imprensa, na Cidade da Praia, no final de um encontro de trabalho com Grupo TUI – Touristik Union International, que actua na área do turismo.

Entretanto, a Inforpress soube de uma fonte da Binter Cabo Verde que a companhia das Canárias irá começar a operar no sábado, 12, e que no dia 14 está prevista a apresentação formal, que vai contar com a presença do presidente das Canárias, Fernando Clavijo, do presidente da Binter, D. Pedro Agustin de Castillo, além das principais autoridades de Cabo Verde.

Com a certificação, a Binter vai começar a operação doméstica com dois aparelhos ATR 72, com capacidade para 72 lugares, nas rotas de Praia, São Vicente e Sal, prevendo a transportadora avançar com novas rotas numa segunda fase, provavelmente em Janeiro de 2017, quando prevê juntar à sua frota um terceiro avião.

Neste momento, todos os departamentos da Binter Cabo Verde (comercial, call center, operações de terra, vendas, qualidade, entre outros) estão a ser organizados com vista à prestação de um “serviço de qualidade”, com enfoque na “pontualidade, regularidade e serviço”.

No âmbito de qualidade de serviço, a companhia contará com o programa de fidelização de clientes, denominado Binter Mais, sendo que o quadro de pessoal da companhia contará, ao início, com cerca de 80 profissionais, constituído, na sua maioria, por cabo-verdianos, muitos deles formados pela Binter nas ilhas Canárias.

Fonte: A Nação

Notícias

Açores apoia Cabo Verde na valorização das cadeias de valor agrícolas

FIC “despede-se” da Laginha com balanço positivo