Cabo Verde está a regularizar dívidas de cotizações a organizações internacionais – Luís Filipe Tavares

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse que o país está a regularizar as dívidas de 3 mil milhões de escudos de cotizações que tem junto de organizações internacionais de que faz parte.

 

"Estamos a pagar. Obviamente que, hoje, seguramente, menos, mas há oscilações porque nós temos as quotas de 2017 e algumas já devemos estar a pagar, como a União Africana. Outras ainda não pagámos, mas vamos pagando", garantiu Luís Filipe Tavares.

Em Julho último, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, revelou que o novo Governo do Movimento para a Democracia (MpD) herdou do executivo do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) dívidas em cotizações a organizações internacionais de 3 mil milhões de escudos.

Destacando o caso da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), cuja dívida ascendia a mil milhões de escudos, o primeiro-ministro disse ter vergonha de participar nas reuniões da organização e "ser chamado de caloteiro".

Em declarações hoje à Lusa na cidade da Praia à margem de uma reunião regional sobre a governação e políticas de gestão de recursos marinhos e redução da pobreza, Luís Filipe Tavares não precisou a percentagem do montante que Cabo Verde já pagou, garantindo que o país "paga todos os dias", mas também recebe novas facturas todos os dias.

"Temos feito uma gestão muito criteriosa disto tudo. O ministro das Finanças acompanha isto tudo de perto, já fizemos planos de pagamento e as coisas estão a funcionar com a fluidez necessária", sublinhou o governante.

Luís Filipe Tavares disse ainda que há vários calendários estabelecidos para regularizar as dívidas e que o arquipélago está a cumprir e a trabalhar normalmente.

"Mas há um trabalho que é feito em coordenação entre os Ministérios dos Negócios Estrangeiros e das Finanças e as coisas estão a ser conduzidas de forma mais responsável possível e acreditamos que vamos cumprir os nossos compromissos como sempre cumprimos", afirmou.

Além da CEDEAO, Cabo Verde integra organizações como a União Africana (UA) e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Plataforma de encontro entre quem quer investir e quem quer desenvolver projetos

Fogo: A ilha precisa de bons investimentos públicos para criar condições para os investimentos privados – Primeiro-ministro

Projeto "Turismo e comunidades: iniciativas locais de criação de emprego” apresentado hoje na Ponta do Sol

​IX edição do Mindel Summer Jazz homenageia Biús

Primeiro centro cultural de um país africano na Europa: Cabo Verde em Lisboa