Santo Antão: Operadores desejam a classificação dos caminhos pedestres como património cultural e histórico da ilha

Os operadores turísticos pediram à Associação dos Municípios de Santo Antão (AMSA) que procure junto do Governo o reconhecimento da rede dos caminhos vicinais existente na ilha, construída na era colonial, como património cultural e histórico, desta região.

Os operadores, já por algumas vezes, defenderam a preservação desses percursos e sua classificação como património da ilha, dada a sua importância histórica, mas também pelo impacto económico que esses itinerários turísticos têm para Santo Antão.

Desde os anos 90, com a prática de trekking (caminhadas em trilhas) em Santo Antão, por parte de milhares de turistas provenientes de vários países europeus, os caminhos pedestres, construídos durante a era colonial para ligar as comunidades, passaram a ser “um grande activo” desta ilha do ponto de vista económico, no entender de alguns operadores.

Os municípios reagiram da melhor forma à proposta dos operadores e prometem sensibilizar o Governo para que, não só esses percursos, mas também as antigas levadas, também construídas na era colonial, sejam valorizados e classificados a património cultural e histórico de Santo Antão.

O presidente da AMSA, Orlando Delgado, concorda que Santo Antão tem a maior rede de caminhos vicinais de Cabo Verde, defendendo, por isso, a necessidade de os municípios e toda a classe empresarial desta ilha trabalharem no sentido de uma maior valorização dessas acessibilidades.

“Vamos ter que trabalhar no sentido de levar o Governo a classificar esses caminhos como património”, sublinhou o presidente da AMSA, enaltecendo a oportunidade da proposta dos operadores turísticos.

A AMSA, segundo Orlando Delgado, tem em preparação um programa de recuperação e sinalização dos caminhos vicinais em Santo Antão, mas as câmaras já têm contado com o apoio do Governo na manutenção desses percursos.

Alguns empresários têm estado, igualmente, a pedir a elevação de alguns sítios em Santo Antão a património natural da humanidade, como é caso de Fontainhas e Corda, ambas situadas no município da Ribeira Grande.

Sites e revistas ligadas ao turismo têm colocado Fontaínhas no “top 10” das aldeias com a melhor vista do mundo.
Fonte: InforPress

Notícias

Governo nomeia dirigentes do Instituto do Turismo

Porto Novo: Governo vai investir seis mil contos para apoiar 40 agricultores com o sistema de rega gota-a-gota

Cabo Verde no Fórum Africano para Cultura de Paz com 12 artistas

Hotel e Casino da Praia concluídos até ao final de 2020

​Fogo acolhe em Novembro a 10ª Reunião de ministros do Turismo da CPLP