Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

O projeco Volunturismo, que alia voluntariado e turismo, movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente nos últimos seis meses, que tem dado “um pouco de si” para projectos de cariz social, assegurou o mentor da ideia.

O projecto, que a nível nacional só existe em São Vicente, foi criado no início do ano, mas conforme Miguel Louro adiantou à Inforpress, está em funcionamento desde 25 de Abril e já dando resultados notáveis para este “casamento” entre o voluntariado e o turismo.

Prova disso é a quantidade de volunturistas movimentados nos últimos seis meses, cerca de 30, com aptidões diversas e oriundos principalmente de Portugal, país com quem tem trabalhado mais nesta primeira fase por causa das questões da língua e da facilidade na comunicação.

“No projecto, aquilo que fazemos é captar e fazer a prospecção de turistas que optam por um turismo diferente, sustentável, comunitário e colaborativo”, explicou o mentor do Volunturismo São Vicente, adiantando que trazem para a ilha as pessoas que, para além de vir conhecer, “dedicam parte do seu tempo em prol de uma causa”.

Entretanto, a ideia, ajuntou, não é só atrair voluntários de países estrangeiros, mas também nacionais. Este objectivo, que têm atingido paulatinamente, tanto assim é, que já tiveram uma primeira volunturista vinda de Santiago e localmente já movimentam um “número significativo”.

Exemplo disso, di-lo Miguel Louro, foi a actividade ligada ao ambiente, realizada em parceria com a associação ambiental Biosfera 1 no mês de Setembro, que teve a participação de mais de 30 voluntários, sendo a maioria cabo-verdianos.

Aliás, a parceria local mostra-se, segundo este responsável, “essencial” para a efectivação do Volunturismo São Vicente, que precisa destes parceiros para alocar os turistas e suas valências a projectos, que “sejam necessários e que estejam a convergir com as necessidades das comunidades e assim acrescentar valor àquilo que já existe na ilha”.

O testemunho vivo desta intenção é a parceria efectivada com a Organização das Mulheres de Cabo Verde (OMCV), iniciada há cerca de dois meses, abrangendo várias áreas, e que permitiu nos últimos dias trazer dois médicos portugueses para rastreios à população e ‘check-up’ em dois jardins-de-infância.

“Aquilo que acabamos por construir e montar com a OMCV foi uma parceria que viabiliza que façamos os projectos em conjunto, sempre em prol das comunidades”, salientou Miguel Louro, indicando um leque de áreas, desde sociais, desportivos, juvenis, saúde financeira e outros mais.

Um “complemento perfeito e muito válido” que querem dar continuidade e que sirva de exemplo para outros, entre as quais com a Associação Ponta d’Pom, com a Biosfera 1 e outras entidades com quem pretendem “formalizar em breve”.

Relações que, segundo Miguel Louro, tem permitido consolidar este projecto que apesar de se inspirar num conceito universal tem uma “forma peculiar” em São Vicente, inclusive de permitir aos turistas se alojarem não em hotéis, mas em casas dentro das comunidades, por exemplo na zona de Pedra Rolada.

Uma ideia que, conforme a mesma fonte, espera-se que seja “muito válido” para as necessidades locais e possa ser replicado noutros pontos do país.

Fonte:noticias.sapo.cv

Notícias

Açores apoia Cabo Verde na valorização das cadeias de valor agrícolas

FIC “despede-se” da Laginha com balanço positivo

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências