Porto Novo: Edilidade prevê investimentos de sete mil contos para empoderamento do setor da pesca

A pesca no município do Porto Novo (Santo Antão) vai receber ao longo de 2017, investimentos à volta dos sete mil contos, previstos pela edilidade visando o "empoderamento" deste setor, um dos mais importantes da economia local.
Além do apoio aos pescadores, através de um fundo para aquisição e recuperação de embarcações, a Câmara Municipal do Porto Novo pretende ainda apostar na promoção do setor da pesca através da realização da feira dos produtos do mar.

O concelho do Porto Novo dispõe de três comunidades piscatórias, nas cercanias da cidade, no Tarrafal e em Monte Trigo, com excelentes potencialidades a nível da pesca, onde, porém, os pescadores têm estado a se queixar da falta de equipamentos de apoio à essa atividade.

Os pescadores têm colocado ênfase na necessidade de se construir arrastadouros de botes em todas essas zonas piscatórias, para facilitar a vida dos pescadores, que, geralmente, enfrentam muitas dificuldades para arrastar as embarcações.

O facto de a unidade de transformação do pescado do Porto Novo, instalada em 2015, continuar ainda fechada, tem estado também a inquietar os operadores de pesca que clamam pela operacionalização dessa unidade, financiada pela cooperação japonesa.

No Tarrafal, o desemprego constitui a principal aflição dos pescadores, que consideram muito reduzida a frota pesqueira existente nessa comunidade piscatória.

Referindo-se a constrangimentos com que se depara o setor da pesca no Porto Novo, o presidente da associação dos pescadores, Atlermiro Correia, avançou que a classe está "muito preocupada" com a redução substancial do pescado (todas as espécies), situação que, a seu ver, está a ter um impacto negativo no próprio sustento dos operadores de pesca.

Este responsável, que se queixou da "ausência de políticas concretas" para o setor da pesca no Porto Novo, diz-se ainda preocupado com a falta de um mercado de peixe neste concelho e exortou a edilidade a pôr a funcionar a peixaria do centro comercial.

A demora na abertura dessa peixaria está a preocupar os operadores de pesca, segundo este líder associativo, que alertou para o facto de as peixeiras continuarem a exercer a sua atividade nas ruas.

A Câmara Municipal do Porto Novo já prometeu equipar o centro comercial ainda no decurso do primeiro semestre de 2017, um investimento a rondar os nove mil contos.

Além da peixaria, o centro comercial da cidade do Porto Novo, inaugurado em julho de 2016, dispõe ainda de um mercado para venda de produtos agrícolas, além de lojas e um restaurante panorâmico.

Fonte: Sapo Notícias

Notícias

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências

​FIC 2019 em “casa apertada” no adeus à Laginha

Operadores registam aumento de turistas com o Programa Cabo Verde Stopover