Luxemburgo investe 3,5 milhões de euros no fundo de descentralização local em Cabo Verde

O Governo do Luxemburgo contribuirá com 3,5 milhões de euros para a constituição de um fundo de descentralização para os municípios cabo-verdianos destinado a projetos de desenvolvimento local.

O anúncio foi feito pelo embaixador luxemburguês em Cabo Verde, Jean Jacques Welfrin, durante uma cerimónia de apresentação de um programa da plataforma para o desenvolvimento local e objetivos 2030, iniciativa estratégica do Governo cabo-verdiano, também financiado pelo Luxemburgo, e que tem como objetivo apoiar politicas nacionais de governação municipais para uma melhor identificação dos objetivos do desenvolvimento sustentável.

O empreendimento visa também reforçar as capacidades dos atores locais em matéria de articulação a vários níveis, a planificação estratégica e o desenvolvimento económico local, contribuindo assim ainda para uma parceria global visando a inovação em matéria de desenvolvimento territorial e de governação local.

Segundo Jean Jacques Welfrin, em complemento deste programa, Luxemburgo vai colocar à disposição dos municípios cabo-verdianos, este fundo de descentralização de três milhões e 500 mil euros que financiará projetos úteis ao desenvolvimento local.

O diplomata lembrou que o programa de plataforma se enquadra no âmbito do Programa Indicativo de Cooperação (PIC) 2016-2020 de 45 milhões de euros de Luxemburgo com Cabo Verde.

A verba tem a mesma configuração que o programa de plataforma para o desenvolvimento local e objetivos 2030 devendo beneficiar todos os municípios, exceto os que não sejam abrangidos com o referido programa, nomeadamente Paúl, Ribeira Grande e Porto Novo (ilha de Santo Antão), Mosteiros, Santa Catarina e São Filipe (ilha de Fogo), Ribeira Grande de Santiago e São Salvador do Mundo (Santiago).

Os municípios escolhidos para o fundo, depois de se candidatarem ao financiamento de projetos úteis ao desenvolvimento local, devem ter uma baixa composição fiscal em termos de arrecadação de receitas próprias e ser os mais atingidos pelas assimetrias e pela pobreza.

Jean Jacques Welfring anotou que, apesar de o patamar do desenvolvimento económico atingido, existe ainda um longo caminho que Cabo Verde deseja percorrer para consolidar esse percurso, reduzir a vulnerabilidade das suas populações, sobretudo as populações rurais ou de localidades relativamente isoladas.

Fonte: Panapress

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos