Luxemburgo confirma a Cabo Verde apoio financeiro de 500 mil euros para mitigar efeitos da seca

O Governo de Cabo Verde recebeu hoje da Cooperação Luxemburguesa a carta de confirmação de financiamento do Programa de Emergência para a Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola no valor de 500 mil euros.

O acto, que teve lugar no gabinete do Ministério da Agricultura e Ambiente, no Platô, foi considerado por Gilberto Silva de “notável” por trata-se de uma soma considerável a reverter-se a favor dos agricultores, criadores dos gados e das famílias que, com o mau ano agrícola, se tronaram mais vulneráveis.

“Neste gesto de solidariedade, por parte dos nossos parceiros, vimos toda a eficiência do próprio exercício de planeamento, que é fundamental para se mobilizar recursos”, disse.

Segundo o ministro da Agricultura e Ambiente, em declarações à imprensa, Luxemburgo como parceiro de Cabo Verde respondeu ao apelo do Governo no sentido de financiar o Programa de Emergência para Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola, aprovado em Conselho de Ministros.

Por essa razão, afirmou, as contribuições dadas pelos parceiros vão directamente para financiar a execução do plano e de todo o programa de trabalho estabelecido no regime de urgência.

“Os trabalhos já arrancaram no terreno e vamos agora, com este apoio financeiro, ganhar velocidade cruzeiro na execução das actividades previstas. O primeiro-ministro já tinha avançado no parlamento que com as contribuições dadas e os recursos previstos no orçamento íamos necessitar de um milhão de contos para dar arranque às actividades previstas”, informou.

Lembrou ainda, que o Governo já mobilizou dez milhões de euros para executar o programa.

Questionado sobre o problema de água para produção agrícola, o ministro avançou que o Governo está à procura de soluções a favor dos agricultores, tendo já executado um poço no interior de Santiago que vai equipar, visando disponibilizar a água para os agricultores.

Convidado a fazer um balanço sobre a execução do programa, Gilberto Silva, que adiantou que ainda, é cedo para isso, indicou que tudo está a funcionar conforme previsto com a atribuição de sistema de crédito, tendo sido definido a emissão de vale cheques que irão ser utilizados no sistema de salvamento de gados.

Salientou ainda, que os dirigentes do ministério já estão no terreno para elaborar uma nova avaliação e já se iniciou a execução do programa com duração até Setembro de 2018, assim como a organização de trabalhos para uma boa gestão de recursos hídricos.

Na sua declaração, a encarregada de Negócios do Luxemburgo em Cabo Verde, Angèle Cruz, lembrou que a resposta favorável ao pedido de apoio do Governo de Cabo Verde face à seca que conheceu o país este ano, deve-se ao facto de se querer ajudar as camadas mais desfavorecidas do país.

“A ajuda é de 500 mil euros que está para ser desembolsado nas próximas semanas. A resposta do Governo do Luxemburgo deve-se ao facto de que a seca afecta as camadas mais vulneráveis da população e, por isso, uma situação excepcional, o Governo do Luxemburgo decidiu por esse apoio”, explicou.

No dia 15, a Cooperação Espanhola cedeu a Cabo Verde no termo de compromisso de apoio financeiro, no quadro do Programa de Emergência para Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola 2017/2018 (PEMSMAA), um donativo de 60.000 euros.

O objectivo é assegurar a resiliência económica nas ilhas afectadas pela seca e o mau ano agrícola, garantindo os meios de subsistência às famílias e a gestão sustentável dos recursos naturais no meio rural.

Fonte: InforPress

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos