Governo prevê para este ano crescimento do PIB de 4,5% em Cabo Verde

A proposta de Orçamente de Estado (OE) para 2016, aprovada quinta-feira, pelo Conselho de Ministros de Cabo Verde, prevê, para este ano, um crescimento da economia nacional até aos 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB), apurou a PANA, sexta-feira, na cidade da Praia, de fonte oficial.

A estimativa feita no primeiro OE, a ser apresentado pelo Governo e que prevê um montante global de 60 mil milhões de escudos (cerca de 544 milhões de euros), é superior aos 2,9% previstos pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) no seu relatório World Economic Outlook (Perspetiva Económica Mundial) do mês de abril último.

A previsão do FMI já superava a estimativa do BCV (Banco de Cabo Verde) que, num relatório de política monetária desse mês, projetou um intervalo de crescimento da economia do arquipélago cabo-verdiano este ano entre 1,5% e 2,5%.

Em conferência de imprensa, o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, precisou que "o Governo prevê um crescimento à volta de 3,5% a 4,5% baseado no incremento do investimento direto estrangeiro, no aumento da produtividade e da confiança dos agentes económicos".

O Executivo prevê ainda que a taxa de inflação deve situar-se entre 0,2% e 1,2%, e que o défice orçamental vai situar-se nos 5,2%, valor que, segundo Fernando Elísio Freire, representa uma redução de 2,1% face a 2015.

Já no que se refere a dívida pública ela está estimada em 121% do PIB.

Conform explicou o governante, dos 60 mil milhões de escudos propostos para OE, 40,1 mil milhões de escudos (cerca de 365 milhões de euros) destinam-se a despesas de funcionamento e 19,5 mil milhões de escudos (cerca de 179 milhões de euros) a investimentos".

Fernando Elísio Freire apontou como as prioridades da proposta de OE o pagamento das dívidas do Estado às famílias e empresas cabo-verdianas, a reabilitação de casas e construção de infraestruturas para beneficiar as populações desalojadas pela erupção do vulcão do Fogo em novembro de 2014.

Também são prioridades incentivos fiscais, como a isenção de taxas aduaneiras para a importação de táxis novos, a isenção do IVA (Imposto de Valor Acrescentado) aos municípios ou a eliminação da contribuição de segurança social para empresas que contratem jovens.

O Orçamento de Estado contempla igualmente verbas para os planos de contingência para época das chuvas e de combate aos mosquitos transmissores de doenças.

A proposta de OE 2016, que será entregue segunda-feira no Parlamento, devera ser discutida  e aprovada na sessão parlamentar de julho próximo.

Enquanto isso, Cabo Verde, que realizou eleições legislativas em março, está a funcionar em regime de duodécimos desde o início do ano.

Fontes: Panapress

Notícias

Conselho de Ministros aprova lei que institui Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente

Missão empresarial de Cabo Verde em Portugal visita Marinha Grande para “aprender com os melhores” em investigação e design industrial

"Batuka". O novo video de Madonna com a Orquestra Batukadeiras

Ginástica Rítmica: Noa Veiga representa Cabo Verde no Mundial de Júniores na Rússia

São Tomé e Príncipe e Cabo Verde celebram acordo de supressão de vistos