Fogo: José Gonçalves “toma pulso” dos desafios, projectos e obras financiados pelo Governo

O ministro do Turismo e Transportes e da Economia Marítima, José Gonçalves, inicia hoje uma visita de trabalho à ilha do Fogo para “tomar pulso” dos desafios, projetos e obras financiados pelo Governo.

O titular da pasta do Turismo e Transporte e da Economia Marítima, que se faz acompanhar do secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga, vai estar nos três municípios da ilha para inteirar dos desafios existentes e deslocações a vários projetos e obras financiado pelo Governo, através do Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo (FSST).

Deverá, igualmente, manter encontros de trabalho com operadores turísticos, do setor da pesca e visitar as estruturas e empreendimentos ligados às áreas sob a sua superintendência.

A visita inicia-se pelo município de Santa Catarina do Fogo, mais concretamente pela localidade de Chã das Caldeiras, onde José Gonçalves tem agendado uma conversa aberta com os operadores turísticos, deslocando-se depois à cidade de Cova Figueira.

Aqui deve visitar as suites/quartos construídos pelo FSST, as obras de miradouro de Maria da  Cruz, a estrada e a orla marítima de praia Casinha e Fajã, o sítio onde se vai construir o segundo miradouro no Alto Espigão, projetos e obras financiados pelo Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo, inteirando assim da situação das obras.

O concurso para seleção de empresas para executar a obra de reabilitação da estrada que liga a cidade de Cova Figueira a Casinha, no litoral, passando por Maria da Cruz e Domingos Lobo, financiado Fundo de Sustentabilidade Social do Turismo, está em curso e termina na próxima sexta-feira, 24 de Maio.

No município de São Filipe, José Gonçalves e a delegação que o acompanha vai auscultar as principais preocupações dos agentes turísticos numa conversa aberta com os operadores do setor, visita as instalações da Associação de Solidariedade e Desenvolvimento (ASDE), onde será apresentado o projeto de pescadores das ilhas do Fogo e Brava, e assinatura de um protocolo de cooperação entre a Direção Geral dos Recursos Marinhos (DGRM) e ASDE.

Um encontro com os operadores da pesca, nomeadamente pescadores, vendedeiras de pescado e associações, visita ao cais de pesca no porto de Vale dos Cavaleiros e a unidade de produção de Gelo, a estância balnear de Salinas, devendo igualmente participar na apresentação do projeto ecoturismo em curso naquela estância balnear.

O projeto “Ecoturismo na piscina natural de Salinas” consiste na requalificação dos acessos e da envolvência do espaço de beleza natural dessa piscina marítima, um centro multiuso e abrigo para a recolha de botes dos pescadores e está orçado em 476.666 Euros (52.400 contos cabo-verdianos) e financiado em 75% pela União Europeia.

Ainda no município de São Filipe, o ministro do Turismo e Transporte e da Economia Marítima e os diversos dirigentes e técnicos dos setores de Turismo, Transportes, Pescas e Economia Marítima, visitam a adega Maria Chaves, participando na apresentação do projeto Rotas do Fogo, assim como um encontro com associação dos taxistas.

No município dos Mosteiros, o último a receber a visita do governante, está programada a assinatura do contrato programa entre a Direcção Geral dos Recursos Marinhos (DGRM) e a câmara municipal, no âmbito do projecto “Impacto município dos Mosteiros”, visita a orla marítima de Beco e lançamento da primeira pedra do projeto “requalificação da orla marítima, e arrastadouro de praia Lantcha”.

Uma deslocação ao sítio de intervenção do projeto impacto do Município dos Mosteiros, desenvolvimento da fileira pescado e Praia Lantcha, visita a algumas localidades a norte e sul com passagem pela zona de Fajãzinha, Baía do Corvo onde se pretende construir do cais de pesca, Achada Grande com passagem pela cooperativa de vinho e zonas altas do município, além de encontros com operadores turísticos e pescadores e vendedeiras de pescados fazem ainda parte do programa da visita do governante.

O projeto de requalificação da orla marítima de Beco prevê a sua transformação numa piscina natural, com clube náutico e área para as atividades náuticas, assim como a área circundante que passa a ter espaço cultural e de lazer mais atrativa e agradável e enquadra-se num projeto maior que prevê a expansão da requalificação da orla marítima da cidade de Igreja até Queimada Guincho, cujo orçamentado poderá atingir os 100 mil contos.

O projeto, elaborado pela WT Engenharia, prevê, de entre outras, a construção de um anfiteatro a céu aberto com capacidade para 250 lugares, na parte central, e com uma configuração oval, reabilitação da rampa da antiga delegação aduaneira, a edificação de um mirante e de um quiosque-bar com vista para o mar, além da requalificação da piscina natural de Beco.

Fonte: Sapo CV

Notícias

Cabo Verde lança isenções fiscais para tentar captar investimento de emigrantes

Governo e Câmaras de Comércio oficializam transferência de competências

​FIC 2019 em “casa apertada” no adeus à Laginha

Operadores registam aumento de turistas com o Programa Cabo Verde Stopover