Companhia aérea Binter inicia voos domésticos em Cabo Verde

A Binter Cabo Verde (Binter CV), companhia área filial da empresa do mesmo nome sediada nas ilhas Canárias, iniciará sábado voos domésticos no arquipélago cabo-verdiano com a inauguração da rota Santiago-São Vicente-Sal, anunciou terça-feira o seu diretor-geral, Raul Zapico.

Em conferência de imprensa na capital cabo-verdiana, Raul Zapico, explicou que a sua empresa começa a voar entre as ilhas cabo-verdianas supracitadas depois de ter recebido, segunda-feira última, uma certificação da Autoridade de Aviação Civil para operar no país.

Prometeu preços competitivos nas ligações da Binter CV entre as ilhas cabo-verdianas, que ocorrem dois anos depois de a empresa se ter instalado no país.

O arranque dos voos vinha sendo anunciado desde de 2015, tendo no entanto sucessivamente adiado por dificuldades relativas à obtenção do necessário certificado das autoridades aeronáuticas locais.

A companhia vai arrancar a operação com um avião, esperando que, na próxima semana, possa começar a operar um segundo aparelho.

"Na próxima semana, contamos ter já dois aviões a voarem em Cabo Verde. Os aviões vão fazer duas ligações diárias entre Santiago, São Vicente e Sal", disse Zapico, assegurando que a ideia é permitir aos passageiros deslocarem-se de uma ilha para a outra e regressarem no mesmo dia.

Segundo ele, a empresa pretende também cobrir todas as ilhas cabo-verdianas, devendo para o efeito chegar em janeiro ao arquipélago um terceiro avião para aumentar as ligações não só entre as três ilhas principais, designadamente Santiago, São Vicente e Sal, como fazer também a ligação com as do Maio, São Nicolau e Fogo.

O diretor-geral da Binter CV promete, igualmente, proporcionar mobilidade, regularidade e pontualidade num mercado atualmente com 300 mil passageiros, perspetivando um aumento  para 600 a 700 mil passageiros.

Sendo até ao momento os voos entre várias ilhas cabo-verdianas assegurados, em exclusivo, pela empresa Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), o responsável da Binter CV considera que "a concorrência faz as empresas baixarem os custos e, se os custos baixarem, os preços das passagens baixam também e com essa baixa de preços, mais Cabo-verdianos vão ter a opção de viajar entre as ilhas".

Ele prometeu que a companhia terá cinco tarifas "bastante competitivas", de modo a permitir aos Cabo-verdianos viajarem mais no seu próprio país.

Fonte: Panapress

Notícias

Porto Novo: Governo vai investir seis mil contos para apoiar 40 agricultores com o sistema de rega gota-a-gota

Cabo Verde no Fórum Africano para Cultura de Paz com 12 artistas

Hotel e Casino da Praia concluídos até ao final de 2020

​Fogo acolhe em Novembro a 10ª Reunião de ministros do Turismo da CPLP