“Cabo Verde precisa de uma escola de arte”

Durante Agosto, um mês tipicamente de calor e de “relax”, o Palácio da Cultura Ildo Lobo promove algumas actividades para contribuir da melhor forma para o início das férias.

O Verão no Palácio da Cultura começou em grande com o concerto do jovem artista Hilário Silva, que foi um momento muito agradável. Residência Artística, Open Talks e Conversa Aberta são as actividades que este espaço cultural pretende realizar durante este mês.

A Residência Artística com Eduardo Bentub, artista cabo-verdiano, residente na Eslovénia acontece de 5 a 17, e é destinado a artistas plásticos. Para além da partilha e da troca de experiências, esta residência artística terá como propósito desafiar os artistas a reflectirem sobre as práticas artísticas actuais, e sobre a necessidade de pensar a produção de obras de arte de uma forma mais metódica e crítica.

Esta residência artística arrancou oficialmente esta terça-feira. “O meu objectivo é de partilhar conhecimentos com os artistas plásticos que residem em Cabo Verde, adquirir novos conhecimentos com os que admiro muito e depois fazer desta residência algo novo”, explica Eduardo Bentub.

Esta é sua primeira residência artística em Cabo Verde. “Seria muito bom se Cabo Verde tivesse uma escola de arte, onde os nossos jovens aprendem a trabalhar nesta área. Temos bons artistas plásticos como Tchalé Figueira, Tutu Sousa, Miguel, David Levy e vários outros”.

Para Eduardo Bentub, os artistas plásticos em Cabo Verde precisam estar mais unidos. “Também tenho constatado que os artistas plásticos estão cada um a fazer o seu trabalho, não há ainda uma união entre eles”.

“Tenho visto muitos bons artistas individuais que podem expor em qualquer galeria de arte do mundo, pois Cabo Verde é um país com muitos talentos na pintura”, acrescenta.

Eduardo Bentub também é um dos artistas que fazem parte do Festival Internacional Sete Sóis Sete Luas (SSSL), onde têm apresentado os seus trabalhos. “Acho que a próxima etapa da exposição de SSSL será em Cabo Verde, mais concretamente na ilha de Santo Antão, no entanto estou à espera do plano da organização para saber qual será o meu programa”.

Além da residência artística, Eduardo Bentub trouxe alguns dos seus trabalhos para apresentar em Cabo Verde. “Trouxe alguns quadros para mostrar durante a residência artística e no final deste evento, faremos uma exposição colectiva para fechar este ciclo da melhor forma”.

Eduardo Bentub apela a todos os artistas plásticos que estão na cidade da Praia para irem participar nesta residência artística que termina no dia 17 deste mês.

Com 25 anos carreira, o artista plástico natural da ilha de Santo Antão utiliza a técnica de colagem na tela. “Costumo dizer que sou um pouco expressionista. Sou um artista autodidata, adquiri muitos conhecimentos com o artista plástico David Levy. Aprendi muita coisa, não só a técnica de pintura mas aprendi como comportar com os meus trabalhos e como produzir as minhas telas”.

Eduardo Bentub nasceu na ilha de Santo Antão. Mudou-se para Portugal para estudar. O curso da vida conduziu-o à Eslovénia em 2010, onde hoje em dia vive. Bentub prefere a técnica do acrílico sobre tela, que alterna com técnica mista. Nas suas obras prevalecem os temas da vida quotidiana da sua terra natal, Cabo Verde, em conjunto com as temáticas musicais e sociais.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis