Cabo Verde Interilhas fez 120 viagens nos primeiros 10 dias da concessão

A Cabo Verde Interilhas, nova empresa concessionária do transporte marítimo de passageiros, informou segunda-feira que, em 10 dias de operação, efetuou 120 ligações e transportou 21.390 passageiros, sendo 70% desse valor na rota Santo Antão-São Vicente.

Segundo um balanço dos primeiros 10 dias de operações, numa nota à comunicação social, a empresa CV Interilhas revelou que "aumentou de forma significativa" o número de ligações, duplicando comparativamente ao que existia anteriormente.

Do total de 21.390 passageiros transportados nas 120 ligações, 14.799 foram na ligação entre Santo Antão e São Vicente, a rota marítima mais movimentada do arquipélago.

A empresa indicou que outras medidas como a separação de passageiros e cargas no transporte entre ilhas "estão a ser devidamente cumpridas, permitindo o aumento de segurança e eficiência e a melhoria do cumprimento dos horários de partida dos navios".

No que respeita à gestão e venda dos bilhetes, que tem suscitado várias reclamações dos passageiros, a CV Interilhas adiantou que foram abertos nos últimos dois dias novos postos de venda ao público, tanto em São Vicente como na Praia, junto aos locais de embarque, permitindo a redução do tempo de espera.

A compra de bilhetes online também já é possível, sublinhou a concessionária, esclarecendo que todas as situações relativas a problemas com bilhetes ou com embarques têm sido devidamente resolvidas com os passageiros.

Na nota, o director financeiro Aniceto Soares sublinhou a "redefinição e optimização" de algumas linhas, que resultou na criação de novos serviços que anteriormente não existiam, nomeadamente, a ligação direta e regular, duas vezes por semana, entre as ilhas do Sal e da Boa Vista com São Vicente e com a Praia, e o aumento de mais uma viagem na rota de ligação das ilhas de São Vicente e Santo Antão - que era habitualmente servida por dois barcos e agora tem apenas um. 

"Uma mudança tão profunda e estruturante com a introdução de um conjunto significativo de novas rotas, práticas e metodologias de trabalho não se esgota nas suas primeiras semanas de atividade", salientou a CV Interilhas, sublinhando que há uma "período inicial de ajuste" para afinar todos os aspetos operacionais e um posterior processo de melhoria contínua.

A empresa destacou igualmente a criação de novos postos de trabalho e a manutenção da maioria dos recursos humanos das empresas que se juntaram ao projeto, adiantando que os salários foram ajustados, resultando num aumento médio de 25% face ao que era praticado.

As viagens são efetuadas com recurso a quatro navios, o "Inter Ilhas", do armador Polaris, o "Liberdadi", Kriola e "Praia D'Aguada", do armador CV Fast Ferry.

A concessão do serviço público de transporte marítimo de passageiros e carga entre as ilhas de Cabo Verde, por 20 anos, entrou em vigor em 15 de agosto, sob a liderança da portuguesa Transinsular.

Foi criada a CV Interilhas, detida em 51% pela Transinsular e Transinsular CV, do Grupo ETE, enquanto os restantes 49% são detidos pelos armadores cabo-verdianos.

Fonte: Expresso das Ilhas

Notícias

Cabo Verde não deve competir pelo preço com outros destinos turísticos, avisa CEO da Oásis

Projeto "Volunturismo" movimenta cerca de 30 turistas para São Vicente

Santa Cruz: Autarquia quer transformar município num destino turístico de excelência

Porto Novo recebe investimentos privados nas pescas à volta de 70 mil contos

São Vicente vai acolher missão empresarial alemã com foco nas energias renováveis