União Europeia quer alargar participação de Cabo Verde no Programa de Investigação e Inovação

A União Europeia (UE) quer aumentar a participação de Cabo Verde no Programa Quadro de Investigação e Inovação daUE, para uma relação “de igual para igual” com o arquipélago na área de investigação ciência e inovação.

Esse desejo foi manifestado hoje, na Cidade da Praia, pelo comissário da UE para area de Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, à saída de um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, na sequência da visita que realiza a Cabo Verde, visando o reforço da cooperação entre Cabo Verde/União Europeia.

O comissário europeu salientou que Cabo Verde tem a capacidade para tornar numa plataforma que permite uma conetividade entre a Europa, África e América, e ajudar a UE a alcançar aquilo que é o seu maior objetivo, que é alcançar a África.

“O presidente Junker no seu discurso de Estado da Nação disse que o nosso maior objetivo é realmente a África, mas um objetivo diferente numa relação diferente e foi aqui que falamos hoje com o senhor primeiro-ministro. Uma relação de igual para”, disse.

Esta visita vem realçar a importância da parceria especial entre a União Europeia e República de Cabo Verde e reforçar a cooperação cientifica nos domínios da investigação marinha e alteração climática.

Durante a sua estadia Em Cabo Verde vai ser assinado um acordo entre a UE e Cabo Verde na área da inovação ciências e investigação marítima e marinha.

Na perspetiva de Carlos Moedas uma das “grandes vantagens” dessa relação, que se quer “de igual para igual” é ter mais cientistas cabo-verdianos a participar no programa quadro de Investigação e Inovação da UE, o Horizonte 2020.

Cabo Verde usufruiu até este momento do programa de ciência europeu no montante de cerca de 250 mil euros e a intenção é de, “pelo menos duplicar ou triplicar” esse valor.

“Hoje, com Cabo Verde temos quatro projetos e cinco cientistas que têm bolsas da Europa para estudar, para viver ou para colaborar e, portanto, estamos a falar de juntar Cabo Verde ao programa da Ciência Europeu e isso dá-se através da colaboração de Cabo Verde com instituições, universidades e empresas na europa para concorrer ao programa”, explicou .

É nesse quadro que é realizado hoje um seminário sobre o Programa Quadro de Investigação e Inovação da UE, o Horizonte 2020, visando o esclarecimento e a preparação dos cientistas sobre como eles podem concorrer ao programa

“O que estou na prática a fazer aqui, é pôr também aquilo que é o meu peso em relação a esse objetivos de Cabo Verde”, indicou.

Para além de participar da abertura do seminário e do encontro com o Chefe do Governo cabo-verdiano, o Comissário Europeu realizou na manhã de hoje uma visita de cortesia ao Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Fonte: InforPress

Notícias

Porto Novo: Governo vai investir seis mil contos para apoiar 40 agricultores com o sistema de rega gota-a-gota

Cabo Verde no Fórum Africano para Cultura de Paz com 12 artistas

Hotel e Casino da Praia concluídos até ao final de 2020

​Fogo acolhe em Novembro a 10ª Reunião de ministros do Turismo da CPLP